Categorias
Alessandro Monteiro | Circuito Carioca Colunas

Jongo da Serrinha é homenageado por Cordão do Boitatá no Rio

Sessenta anos de história e muito trabalho. O Jongo da Serrinha estará presente no carnaval de rua da idade do Rio de Janeiro, agora em 2020. O grupo cultural ocupará a Praça XV juntamente com os blocos Batuquebato e Cordão do Boitatá, este com o tema ancestralidade que liberta, homenageia também mestre Buka e a matriarca jongueira, Tia Maria, que no fim deste ano completaria 100 anos de vida e muitos carnavais.

O primeiro encontro é no sábado (22), às 16 horas, com o Bloco Batuquebato, que tem o Jongo como enredo do seu desfile. Já no domingo (23), a festa será, a partir das 9h, no Baile Multicultural do Cordão do Boitatá, que promove uma folia já tradicional de muita música, com variedades de ritmos, participação de diversos artistas e  muitas fantasias.

A narrativa do Jongo da Serrinha com o Cordão do Boitatá vem dos tempos do Mestre Darcy e sua mistura com a cidade.  Mas, foi em 1997, que o bloco brincou, pela primeira vez, pelas ruas do centro do Rio de Janeiro, reverenciando aqueles que vieram antes deles e seus cordões.

Este ano, em busca de apoio mútuo, em meados de janeiro, a turma se encontrou em Madureira e foi lá que muito emocionado Kiko Horta, diretor musical do Boitatá, afirmou que o grupo jamais poderia esquecer do grande legado que o Jongo da Serrinha tem oferecido ao Rio de Janeiro.

“Eu queria agradecer por essa formação. Numa cidade como o Rio,  a Casa do Jongo é um dos locais de mais relevância, pela importância do trabalho que é feito, onde a cultura brasileira tem a real possibilidade de exercer seu papel.  Assim,  tudo o que a gente puder fazer, vamos fazer, porque a  cidade tem que aprender com a Serrinha, declarou Kiko, com os olhos marejados .

 

Deli, neta de vovó Maria Joana e voz forte no Jongo da Serrinha, lembrou que Tia Maria amava estar no Boitatá. “É um prazer estar aqui junto desse bloco tão incrível. Vai ser um carnaval com muita energia e cheio de emoção, pois temos a certeza que nossa matriarca estará conosco. Esse jongo, que vem resistindo tantos anos, não está sozinho. Com o Boitatá e todos os nossos ancestrais nos dando força, vamos fazer um lindo carnaval e uma bela homenagem a nossa querida Tia Maria”, reforçou a cantora.

Com a crise do Estado e o pouco investimento do poder público, o Boitatá buscou, por meio de uma campanha pela Benfeitoria, colaboradores para efetivamente conseguir colocar o bloco na rua. E conseguiu! Além do baile, que vai acontecer dia 23, foi possível desfilar com o  famoso cortejo pelas ruas do centro, no último dia 16. Já o Jongo da Serrinha, a colaboração é permanente e serve para manter ativa as atividades realizadas em sua sede “Casa do Jongo”, localizada na rua Silas de Oliveira, 101, em Madureira.

Já a união com o Batuquebato surgiu em 2019, quando os músicos do bloco levaram seus alunos para uma oficina lá na Casa do Jongo. E foi justamente a partir desses encontros que surgiu a proposta de fazer o primeiro enredo, tendo, então, o jongo, ícone da cultura popular brasileira, como o grande homenageado.

Gabriel Policarpo, músico, percussionista e criador do Batuquebato, explica que o grupo existe desde 2012 e como admirador e pesquisador dos ritmos brasileiros, e com sua vivência desde criança no samba, teve a ideia de em 2020 criar um enredo, fundamentando ainda mais o trabalho do bloco.

 

“Nosso repertório sempre foi com artistas brasileiros. Tocamos Alceu, Martinho, João Nogueira, mas nesse ano, a partir da oficina, tivemos um motivo e ficou mais claro pra nós a concepção do enredo. Logo pensamos no jongo, que é uma cultura nossa, do Brasil que queremos. Fizemos a letra e quando fomos na Casa do Jongo, agora em janeiro, e eu vi a gente na roda, tudo realmente fez muito sentido”, contou Gabriel.

O grupo esteve presente no grito de carnaval, organizado pelos professores e alunos da Casa do Jongo, na sexta pré-carnavalesca. “Ficamos muito felizes com toda a recepção, as oficinas e os ensinamentos de uma cultura popular tão rica. Como isso é importante para o estado do Rio de Janeiro! Estamos radiantes em ver o Jongo da Serrinha embelezando nossa música e o que falamos em nosso samba é uma forma de reverenciar e agradecer por tanta beleza”, finaliza o criador do Batuquebato.

A colaboração para o Jongo da Serrinha se mantém ativa o ano inteiro. Por meio do site https://benfeitoria.com/casadojongo    é possível tornar-se assinante.  As contribuições variam de R$20,00 a R$100,00 e auxiliam na manutenção da Casa do Jongo, que funciona como um Centro de Memória permanente, e que atende diariamente, crianças, jovens e adultos através de diversas oficinas de dança, capoeira, percussão, teatro, entre outras.

Categorias
Alessandro Monteiro | Circuito Carioca Colunas

Mel Lisboa entrega Prêmio em Cracolândia

Neste sábado, dia 22 de fevereiro, em meio à agitada folia do carnaval de rua paulista, em um palco montado na esquina das Rua General Osório com a Rua do Triunfo, acontece a entrega do Prêmio Cai de Boca. Uma iniciativa da Cia Pessoal do Faroeste em reconhecimento de pessoas e entidades que recebem a homenagem das mãos de Mel Lisboa, madrinha do evento.

“O Prêmio Cai de Boca destaca aqueles que, de alguma forma, colaboraram ativamente para a construção de uma cidade de direitos, mais humana, ou diretamente com a ocupação política que o Teatro Pessoal do Faoreste e o Instituto Luz do Faroeste realizam na região”, conta Paulo Faria, ator e diretor da Cia. Pessoal do Faroeste.

O nome Cai de Boca é inspirado no filme “Festa na Boca”, de Ozualdo Candeias, 1976, que faz o registro da entrega de um prêmio dado pelos próprios produtores, técnicos e artistas da Boca do Lixo, à eles mesmo, em deboche a crítica que ignorava ou destruía a produção da Boca.

Premiados Cai de Boca 2020:

  1. OAB Direitos Humanos – pelo Balcão de Direitos Humanos.
  2. Deputada Leci Brandão – pela trajetória política no samba.
  3. Deputada Érica Malunguinho – pela Mandata Quilombo.
  4. Bancada Ativista – pela construção coletiva de um mandato.
  5. Vereador Eduardo Suplicy – pela sua atuação na área de Direitos Humanos na Região da Cracolândia.
  6. Preta Ferreira – pela sua trajetória no MSTC.
  7. Astrea Lucena, atriz paraense – pelos 50 anos de teatro e cinema na Amazônia.
  8. Alastra/Loki Bicho pelas feiras e festas que realiza no centro de SP Serviço 8º Prêmio Cai de Boca 

     

     

    Serviço: Data: 22 de fevereiro (sábado)

    Horário: 12h

    Local: Palco na esquina das Rua General Osório com a Rua do Triunfo

    Madrinha: Mel Lisboa

    www.pessoaldofaroeste.com.br

     

Categorias
Alessandro Monteiro | Circuito Carioca Colunas

‘O Menino das Marchinhas – Braguinha para Crianças’ estreia no Rio

Sucesso de público e de crítica, o musical infantil O Menino das Marchinhas – Braguinha para Crianças volta ao cartaz, no dia 07 de março, para quatro apresentações no Teatro Clara Nunes, no Shopping da Gávea, esticando o Carnaval por mais duas semanas. O espetáculo faz parte do projeto ‘Grandes Músicos para Pequenos’, criado pela produtora Entre Entretenimento com o objetivo de levar para os palcos nomes importantes da cultura brasileira em montagens que mesclam biografia e canções do artista escolhido. Fazem parte do projeto também “Raulzito Beleza”, “Bituca”, “Tropicalinha” e “Luiz e Nazinha”.

Grandes sucessos como “Balancê”, “Cantores do Rádio”, “Pirulito que bate bate”, “Carinhoso”, “Chiquita Bacana”, “Pirata da Perna de Pau”, “Tem Gato na Tuba”, “Yes, nós temos bananas” transportam o público aos divertidos carnavais de rua da década de 20. O resultado é um programa que agrada a toda a família. “Durante as temporadas anteriores, era comum vermos avós e netos numa sessão e aquela mesma avó em outra sessão sem os netos, mas com as amigas”, conta o diretor do espetáculo Diego Morais. “Nossa ideia é criar espetáculos com conteúdo atraente para as famílias, para aproximar as gerações”, destaca Pedro Henrique Lopes, autor do texto e ator do musical.

 

A peça conta a história de Carlinhos, um garoto que ouvia música em todo lugar por onde passava. A avó dele, pianista clássica, sempre estimulava a musicalidade do menino, mas o pai era contra. Carlinhos se junta a alguns amigos de escola e começa a criar belas canções de Carnaval. De forma engraçada e emocionante, O Menino das Marchinhas – Braguinha para Crianças trata de temas como o valor da família, da amizade e das relações humanas, a perseverança na busca por um sonho, a criatividade e a cooperação artística entre as crianças.

Ficha Técnica:

Direção: Diego Morais

Direção Musical: Claudia Elizeu

Roteiro original: Pedro Henrique Lopes

Coreografias: Victor Maia

Elenco: Pedro Henrique Lopes (Carlinhos), Erika Riba (Dona Isaura), Jean Pontes (Henrique), Augusto Volcato (Alvinho) e Beto Vandesteen (Sr. Jerônimo Braga)

Cenário e figurinos: Clívia Cohen

Iluminação: Pedro Mendonça

Produção e realização: Entre Entretenimento

 

Serviço:

 

O Menino das Marchinhas – Braguinha para Crianças

Temporada: 07 a 15/03/2020

Teatro Clara Nunes (Shopping da Gávea) – Rua Marques de São Vicente, 52 – 3º andar – Gávea – Rio de Janeiro – RJ.

Telefone: (21) 2274-9696

Dias e horários: Sábados e domingos, às 16h

Ingressos: R$ 70 e R$ 35 (meia-entrada)

Lotação: 743 pessoas

Duração: 60 minutos

Classificação: Livre

Funcionamento da Bilheteria: Todos os dias, de 13h às 21h.

Fotos de Diego Morais

Categorias
Alessandro Monteiro | Circuito Carioca Colunas

Aline Riscado é a nova queridinha da Itaipava

 Eu amo carnaval! Estar mais um ano com a Itaipava vivendo esse circuito carnavalesco super intenso é maravilhoso! Sim, é cansativo, pois são muitos eventos em diferentes lugares do Brasil, mas consigo me divertir, e muito, comenta Aline Riscado.

Com make & hair de Ygor Marques, a Aline Riscado conta figurinos especiais para cada ocasião, criados pelo fashion stylist Alberth Franconaid, que veste Aline em eventos especiais. “Os looks criados por meu stylist Alberth Franconaid também são uma super atração, pensados com antecedência pra me deixar confortável e me sentindo linda, como o Verão e o Carnaval pedem”, completa a Verão.

Aline pisa na  Marquês de Sapucaí e grande estilo, como Rainha de Bateria da Unidos de Vila Isabel. “Esse ano tenho a novidade do meu desfile, na segunda feira, com a Vila Isabel na qual sou rainha de bateria! Estou muito animada com tudo”.

 

Categorias
Alessandro Monteiro | Circuito Carioca Colunas

Grupo Molejo abre quarta temporada do programa ” Todas as Bossas” na TV Brasil

O Grupo Molejo será a atração de abertura da quarta temporada do programa “Todas as Bossas”, da TV Brasil. Dirigido por Waldecir de Oliveira, o programa estreia em março e  vai fazer ainda nesta temporada uma homenagem ao sambista Monarco. Arlindo Cruz, Nelson Sargento e Elton Medeiros foram artistas já homenageados pela atração. O grupo escolheu um repertório de primeira para abertura do programa, entre os sucessos estão: “CAÇAMBA”, “PENSAMENTO VERDE”, “A BRUXA” e a DANÇA DA VASSOURA.