Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. ©2019 Diário do Rio.

DJ Diego Fábio dos Santos de Jesus, o Zulu Tec Nykko – Uma história de superação, amor pela dança e bons projetos

Foto: Divulgação
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

Antes de se tornar um jovem rebelde, segundo sua própria definição, Zulu passou parte da infância preso à cama. Durante três longos anos conviveu com uma bronquite asmática seguida de sopro cardíaco (uma anormalidade do fluxo sanguíneo que passa pelo coração).

Com o passar do tempo, Zulu frequentou outros grupos de dança até descobrir o movimento hip hop. A passagem por ONGs e projetos sociais fez com que criasse uma metodologia própria de ensino a ser aplicada a crianças, o que o qualificou como educador.

Em pouco tempo já estava ministrando aulas no projeto que ajudou a criar, o Cypher da Rua. Na linguagem do hip hop, “cypher” é a roda de amigos que se forma nas batalhas de MC’s ou em outras atividades ligadas ao movimento. Funcionando desde 2015, hoje o projeto atende cerca de 40 crianças de várias classes sociais e acumula inúmeras histórias de superação.

Zulu, também é ganhador de 6  grandes prêmios, incluindo o de melhor gestor de Cultura do Estado Rio de Janeiro em 2017 e 2019, melhor evento da Baixada projeto Cypher Na Rua,  ministrou  vários workshop de Dança    Urbanas em Vários Estados do Brasil, participou de show e programa Tv , hoje é membro Representante da Zulu Nation INSTITUIÇÃO Organizadora do Hiphop Mundo ,(internacional) e membro do Conselho internacional de Dança o CID- UNESCO.

Ele também é…

Dançarino (Danças urbanas-breaking) , Coreógrafo, Art -Educador , Pesquisador de danças Urbanas ,Treinador de Breaking , DJ, Beat Maker (formado pela RedBull Favela Beat) , Presidente do Centro de Desenvolvimento de Atributos Urbanos (URBANOS BF), instituição com  atuação nacional e internacional. Diretor do curso de dança do Teatro Municipal de Duque de Caxias, Conselheiro Municipal de Juventude de Duque de Caxias , Conselheiro Municipal de Cultura de Duque de Caxias ,  criador do kit de mobilização de jovem negro periféricos o (Quilombox) da Anistia Internacional campanha Jovem negro Vivo ,  Produziu e coordenou diversos eventos e projetos artísticos dentro e fora da cidade de Duque de Caxias.

Atualmente participa da Comissão Técnica da (CNDDS – Conselho Nacional de Dança Desportiva e de Salão), organizando diretrizes da Dança Breaking no seu possível enquadramento no território braseiro.

Em 2019, Cypher foi contemplado com o Diploma Heloneida Studart, uma forma de reconhecimento e estímulo às boas práticas culturais promovida pela Comissão de Cultura da Alerj. Também esteve entre os sete vencedores do edital ” Apoio a Ações Locais Enfrentamento ao Racismo com Enfoque na Segurança Pública”. A chamada pública visa fornecer suporte para iniciativas, coletivos e organizações sediadas na Baixada Fluminense.

pt Português
X
Open chat