Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. ©2019 Diário do Rio.

Quem roubou o seu sonho? (Parte 2)

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

Você já percebeu a quantidade de anos, de tempo que nós passamos na escola aprendendo uma gama de conteúdos inúteis? Digo, de uma maneira geral para a nossa vida?

A verdade é que aprendemos coisas que são úteis e outras que não são. O sistema de ensino tradicional que nós conhecemos, como visto no artigo anterior, foi criado e amplamente desenvolvido na época da revolução industrial, quando as fabricas precisavam de pessoas formadas na escola para trabalharem nas indústrias. No entanto, aquela época nem de longe vislumbrava-se a era da informação, haja visto que não existia a libertadora internet, a apenas dois cliques de nossas dúvidas. Hoje em dia, as pessoas não precisam mais ir em bibliotecas, não precisam pesquisar em inúmeras fontes. Porque sim, a partir do seu celular ou do seu computador, você pode ter acesso a qualquer informação. Logo, a escola não é exatamente o lugar onde você irá acumular informações. Todavia, a escola deveria ser um lugar para que você aprendesse a pensar, para que você descobrisse como desenvolver conhecimentos e habilidades que sejam proveitosos para a sua vida. Posto isso, será ter sido mesmo importante você ter ficado decorando os nomes de montanhas e rios de outros países, enquanto estudava geografia? Em grande parte, as pessoas nem sequer lembram do que estudam na escola, porque a realidade é que elas ficam grande parte do tempo preocupadas em decorar e acumular informações, para enfim estarem preparadas para fazerem as provas. Nesse contexto, vão vivendo nesse sisteminha artificial de precisarem decorar para fazerem a prova.

A pergunta é: Os melhores alunos das turmas são aqueles que são mais bem-sucedidos na vida? Será que são esses mesmos alunos que estarão preparados para resolverem os problemas reais do cotidiano? A escola deveria se atualizar! A escola treina as pessoas para pararem de pensar, para ficarem inertes, ao invés de terem iniciativa e acaba por posicionar as pessoas como meros consumidores passivos de informação. O professor fala e as pessoas ali sentadas ruminam as informações passadas na sala de aula, para que posteriormente façam a prova com todas aquelas informações que só foram decoradas. Mas e depois?! Depois a maioria esquece de tudo o que aprendeu. E pasme, universitários muitas vezes saem da faculdade com a plena incapacidade de interpretar, compreender e ler com maestria um texto, apesar de terem passado mais de uma década com as nádegas sentadas nas cadeiras da escola, nas mãos do sistema de ensino. Será que o sistema de ensino, detém mesmo a competência? E se ao invés de estudar as diversas matérias inúteis que você teve na escola, você tivesse estudasse ou tivesse estudado por exemplo, direito do consumidor e educação financeira?

Finalmente, a pergunta que fica é: E se ao contrário disso a escola, o sistema adotasse um formato diferente para as pessoas, sem quaisquer distinções? E como poderia ser? Até o próximo artigo!

Luciana Marques
Executiva de Marketing e escritora
Instagram: @lucianamc10_

pt Português
X
Open chat