Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. ©2019 Diário do Rio.

Com pandemia vendas online só aumentam e devem virar tendência

Vendas do comércio lojista da capital fluminense caíram 6,5% em fevereiro. (REUTERS/Pilar Olivares/Agência Brasil)
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

Da Redação 

Com ou sem a pandemia, uma tendência cresceu ainda mais por todo Brasil: o serviço de vendas online. Além da necessidade real de continuar trabalhando, os e-commerce entenderam que vender para seus clientes no conforto de suas casas se tornou uma prática mais rentável e barata. O crescimento significativo de aplicativos que entregam comida é um dos maiores.

Uma breve olhada por qualquer janela é possível ver pelos menos 30 a 50 entregadores, sejam de bicicletas ou de motos, entregando comida. Até os supermercados, segundo estudos divulgados recentemente, tiveram uma queda em suas vendas, já que a maioria das pessoas estão apostando na entrega delivery, economizando até o gás de casa, assim como evitando contato com outras pessoas e aglomerações. 

E se esse serviço aumentou, o e-commerce também não ficou para trás. Grandes lojas, inclusive, estão até encerrando expedientes físicos. Sete em cada dez micro, pequenas ou médias empresas (73,4%) do país estão fazendo vendas online durante a pandemia do novo coronavírus. Isso é o que revelou uma pesquisa feita pela Serasa Experian com 508 empreendedores, realizada no mês de fevereiro.

Desse total, 83,1% pretendem manter a realização dos negócios pela internet mesmo quando a pandemia acabar. Dentre os canais mais utilizados para as vendas estão as redes sociais, principalmente o WhatsApp (72%). Na pesquisa, os entrevistados revelaram ainda que a venda online ajudou a atingir públicos diferentes (51% das respostas mencionaram isso), criou mais exposição para o seu negócio (44,8%) e permitiu atingir novas regiões (34,5%).

A pesquisa também mostrou que 24,8% dos empreendedores têm buscado empréstimos e financiamentos para manter seus negócios.  Em muitos casos, empresas pegaram este empréstimo para aumentar seu investimento no comércio online. Empresas e pessoas que trabalham com e-commerce obtiveram um lucro bem maior devido a este crescimento. O que antes seria uma tendência de muitos lugares que vendem online – o frete grátis – tem diminuído drasticamente. 

pt Português
X
Open chat