Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. ©2019 Diário do Rio.

Guias de Turismo do Rio aguardam cerca de um ano por auxílio prometido pelo Governo

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

O Governo do Rio de Janeiro está em dívida com o Turismo. Com a pandemia da Covid-19, o turismo em todas as partes do mundo foram prejudicados, incluindo a Cidade Maravilhosa, um dos principais destinos para gente de todo planeta. E sabendo disso, quem vive disso vem aguardando alguma ajuda estadual. Contudo, um alento pode ter chegado. Em audiência da Comissão de Turismo da Assembleia Legislativa,que ocorreu na última sexta-feira, a presidente Alana Passos cobrou resposta efetiva sobre a regulamentação da lei 8858/20, sancionada desde junho de 2020. Desta maneira, a Secretaria da Casa Civil, garantiu que vai enviar à Alerj, em até 10 dias úteis, as ações para garantir uma renda mínima aos guias de turismo do estado. Uma nova audiência está marcada para o dia 17 de maio, para fazer valer o auxílio.

“Esse pleito é legítimo e o que posso dizer, neste momento, é que nós vamos buscar uma solução urgente e imediata”, afirmou Fábio Serrano, subsecretário da pasta do Rio de Janeiro.

A reunião para debater o auxílio contou com mais de 800 integrantes do setor que aguardam por essa verba. Com a nova audiência marcada para ainda este mês, a deputada Alana Passos confirmou o compromisso que a comissão terá com esse problema e garante que vai angariar ajuda para os trabalhadores do setor.

“Não adianta o Legislativo cumprir o seu papel e o Poder Executivo não dar efetividade à lei. Precisamos chegar a um entendimento sobre isso da forma mais rápida possível. Pedir mais dias, após um ano de espera a quem está passando necessidade, é muito. É mais tempo de fome e contas que não esperam”, enfatizou a presidente da comissão.

Para os envolvidos, a falta de iniciativa do Governo estadual pode ter sido decisiva para a não distribuição da verba aos profissionais que necessitam deste auxílio. Na reunião destacou-se que R$ 166 milhões do Fundo de Combate à Pobreza ficaram sem uso, que poderiam ser repassados.

A cúpula acredita que nesta reunião derradeira no dia 17 será confirmada a forma de distribuição da verba a ser destinada aos profissionais do turismo.

pt Português
X
Open chat