Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. ©2019 Diário do Rio.

Opinião: O Fluminense precisa voltar a ser protagonista e fazer frente ao Flamengo no Carioca

Fred foi decisivo para a última vitória do Fluminense (Foto: Divulgação/FFC)
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

Por Guilherme Abrahão

Com Botafogo e Vasco eliminados do Campeonato Carioca, deu o que podia-se chamar de óbvio ululante: Flamengo campeão da Taça Guanabara e Fluminense com a segunda campanha. E isso significa que os dois melhores times do Rio de Janeiro – o Fla do Brasil – devem confirmar as vagas na final do Estadual, pelo segundo ano consecutivo. E a missão do Tricolor é mostrar que pode ser protagonista e que pode bater de frente com o Rubro-Negro.

Os últimos confrontos entre as equipes mostraram um total equilíbrio nas partidas. Porém, na hora de levantar o caneco, o Flamengo está andando a braçadas. Nos últimos dois anos, o futebol carioca levou oito títulos: todos com o Fla. De volta à Libertadores depois de oito anos, ficando entre os melhores do Brasileiro de 2020, o Flu investiu e vem com mais força do que na temporada passada. Já mostrou que pode pensar um pouco maior ao enfrentar o River Plate pela competição continental.

Não é uma missão simples passar a frente do Flamengo. Por mais que o Carioca seja o título com menos valor, ser campeão diante do Rubro-Negro será uma boa nova para o torcedor do Fluminense. Será seu retorno em grande estilo ao cenário dos concorrentes mais fortes do Brasil.

Com todo respeito a Portuguesa e Volta Redonda, mas Flamengo e Fluminense são obrigados a fazer esta final. E o Fla é o grande favorito. Por isso, é a hora do Tricolor mostrar que ainda é uma das maiores forças do Brasil. Essa tem que ser sua grande chance.

Uma eventual conquista estadual pode também ser um divisor de águas para torneios como a Copa do Brasil e até mesmo a Copa Libertadores. Em ambas as competições, o Tricolor tem pedreiras pelo caminho. No torneio nacional, o Red Bull Bragantino, que apesar de não ser um clube tradicional, é um dos com maiores investimentos do país. Na continental, adversários fortes da Colômbia, Santa Fé e Junior de Barranquilla, sem contar o poderoso River Plate (ARG), que em cinco anos com Gallardo no comando, chegou em todas as vezes entre os quatro melhores da competição.

Para Roger Machado, também, será um salto imenso na carreira. Após passagens questionáveis por Grêmio, Atlético-MG, Palmeiras e Bahia, a sua chance de mostrar que pode sim estar entre os grandes nomes. E para isso, um título carioca, diante do Flamengo, seria um apogeu em sua curta e, até aqui, nada animadora carreira.

pt Português
X
Open chat