Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. ©2019 Diário do Rio.

OPINIÃO: O privilégio de Rogério Ceni de ter dois dos melhores centroavantes do Brasil em seu elenco

Gabriel se tornou ídolo no Flamengo (Foto: Satff Imagens/Conmebol)
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

Por Guilherme Abrahão

Faça um levantamento rápido de grandes clubes do Brasil e do mundo e encontre quantos possuem dois dos melhores – senão os DOIS melhores – centroavantes do Brasil em seu elenco. Na minha pesquisa, encontrei pouca coisa. Apenas para se resumir ao nosso país, o Flamengo é o único que possui essa opção de dois jogadores que poderiam muito bem se revezar como centroavantes também na Seleção Brasileira: Gabigol e Pedro. Sorte de Rogério Ceni treinador rubro-negro. Azar dos rivais. A dupla está cada vez mais entrosada com o gol. Basta pegar os números acachapantes desde suas chegadas ao Rubro-Negro.

O caso não envolve apenas títulos. Afinal, a máquina de levantar taças do Flamengo está há dois anos vivendo momentos mágicos, que passam muito pelos pés de seus centroavantes, mas também tem a ajuda de outros grandes nomes como Bruno Henrique, Arrascaeta, Gerson, Rodrigo Caio, Diego, William Arão… A questão é: quem se pode dar esse privilégio que o Flamengo se dá.

Entre os elencos mais caros do Brasil, nem Palmeiras, nem São Paulo, nem Atlético-MG, nem Grêmio possuem dois jogadores da mesma posição – e uma posição decisiva – com tanto talento e faro de gols. Pedro, que chegou na temporada passada, já marcou 30 gols em 61 partidas, uma assustadora média de 0,5 gols/jogo. Chegou na Seleção Brasileira nos tempos de Fluminense ainda. Mas tem que estar novamente.

O que mais deixa os rivais preocupados é seu “adversário” pela posição. Falar de Flamengo atualmente é falar de Gabigol. Jogador mais decisivo do elenco, com participação direta em todas as conquistas. Seus números também são avassaladores: são 77 gols em 110 jogos, com uma média de 0,7 gols/jogo, quase um por partida, sendo o maior artilheiro do século com a camisa rubro-negra.

Procure pelo planeta afora para ver quem possui dois jogadores que disputam a mesma posição com números tão altos. Realmente ser treinador do Flamengo, na situação atual, é ter esses privilégios. Que pelo caminho que a dupla anda, independentemente de quem seja titular ou reserva, Tite, treinador da Seleção, pode e deve ter. Não seria absurdo ver os dois juntos com a camisa amarelinha.  

Nomes que atuam na Europa, como Firmino, Richarlison e Gabriel Jesus acabam tendo mais espaço para jogar pela Seleção. Inclusive atuam em uma liga mais forte. Mas é hora de olhar também quem está no país, como foi com Fred em 2014 e tantos outros. No Brasil tem sim jogadores que merecem estar na Seleção e dois deles sem dúvidas são Pedro e Gabriel.

 

pt Português
X
Open chat