Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. ©2019 Diário do Rio.

UERJ classifica como “estapafúrdia” proposta de deputado de extinguir instituição

Foto: Divulgação/UERJ
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

A Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) classificou como “estapafúrdia” a proposta do deputado estadual bolsonarista Anderson Moraes (PSL) de acabar com a instituição. O projeto de lei que pede a extinção da Universidade foi protocolado na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) e causou muita polêmica, mas foi descartado pelo presidente da Casa, André Ceciliano (PT), na quarta-feira (26).

Em nota divulgada nesta quinta-feira (27), o reitor da instituição, Ricardo Lodi Ribeiro, disse que é com grande satisfação e alívio que a universidade recebeu a decisão da presidência da Alba de sequer colocar em discussão “a estapafúrdia proposta de extinção da Uerj”

“Além de violar a Constituição do Estado, a proposta ignora a extrema importância da Universidade para a população fluminense, que conta com ensino público e gratuito, inclusivo e de qualidade, assim como uma estrutura de pesquisa de ponta, que nos colocam nas primeiras posições dos rankings nacionais e estrangeiros. E também na extensão: nossa Instituição é, hoje, a principal agência de políticas públicas estaduais, além de referência na saúde e, em especial, no combate à Covid-19, por meio do atendimento a pacientes de alta e média complexidade, testagem e vacinação da população fluminense”, diz trecho de nota.

A universidade ainda afirmou que, “fracassada no nascedouro, a tentativa de extinguir a Uerj revela a existência de setores da sociedade, com representação política, que empreendem uma guerra cultural contra a ciência, baseada no irracionalismo irresponsável, cujos resultados já são sentidos pelo povo brasileiro na sabotagem ao enfrentamento da Covid-19”.

“Atacar a Uerj é uma forma vil de suprimir os direitos do enorme contingente de pessoas que têm suas vidas transformadas pela atuação da Universidade. O saldo do lamentável episódio é a fantástica rede de solidariedade que se formou na defesa de nossa Universidade entre parlamentares, reitores de outras instituições, trabalhadores da educação, estudantes e sociedade em geral. Agradecemos a cada pessoa e entidade que se ergue em solidariedade à Uerj e ao seu exitoso projeto de 70 anos de educação superior pública, gratuita, referenciada socialmente, laica e de excelência. A Uerj é grandiosa e um patrimônio do povo brasileiro. A Uerj não será extinta porque ela muda a vida das pessoas para sempre!”, concluiu a universidade.

pt Português
X
Open chat