Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. ©2019 Diário do Rio.

Narradores eSports

Ravena Dutra é narradora de League of Legends. (Foto: Ravena Dutra/Reprodução/Instagram)
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

Você achou que o esporte eletrônico era só joguinhos na tela para o público poder se levantar aos gritos e torcer para o seu time preferido? Bom, por trás de toda essa energia tem os que dão emoção para a gente poder vibrar junto: são eles, os narradores.

Não eliminando a evolução do cenário dos jogos online, temos a evolução também dos bastidores que fazem a composição dele e, hoje, destaco os narradores, as vozes para a introdução da torcida. A habilidade aqui não é somente ter aquela voz maravilhosa, você precisa também entender sobre o jogo e estudar o mesmo, que está acontecendo ali na sua frente.

E como o Batman tem o seu Robin, o narrador não pode deixar de ter seu companheiro, que chamamos de comentarista. E o que o comentarista faz? Ele, pode ser se dizer, é o cara que introduz quem está ouvindo a narração e pode não ter entendido o acontecimento a um tipo de entendimento específico. No caso de um jogo de FPS, por exemplo, o narrador faz toda a sequência de acontecimentos espontâneo e, logo após, o comentarista conta os detalhes sobre as táticas que cada equipe usou ou até poderia ter feito.

Os narradores são a peça essencial para o esports. Eles que dão a coordenação do que está acontecendo nos jogos. Os jogos online em si já são uma narrativa, mas, quando mencionamos o ponto de interação do público com o competitivo, são eles que fazem essa ponte.

Mulheres comentaristas e narradoras

E um dos destaques que gosto de sempre puxar é trazer a importância das mulheres também no mundo do esports. E posso agora dizer que elas também estão dominando as narrações e os comentários, não só no mundo dos games como também nos esportes eletrônicos.

A representatividade feminina no esporte eletrônico vem ganhando cada vez mais espaço. Ainda tem muita coisa a melhorar e erradicar (os assédios, a toxicidade, o desrespeito e etc) para que isso se torne um ambiente 100% confortável a todas, mas não é uma batalha impossível.

No Rainbow Six temos Victória “Viic” e Mohana “SunshineM18”. No League of Legends: Ravena Dutra, Lahgolas e Foguita. E no Valorant temos a Letícia Motta. É claro, outros jogos também têm narrações e comentaristas, e, repetindo, já são parte essencial do esporte eletrônico. Em todo torneio, independente do game, é praticamente impossível não os ter nos bastidores para levantar o público.

Jonathan Oliveira
Designer gráfico, fotógrafo e diagramador do Jornal DR1
jonathanoliveira@jornaldr1.com.br

pt Português
X
Open chat