Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. ©2019 Diário do Rio.

Posto de vacinação do Maracanã será reaberto nesta quinta-feira

Posto de vacinação do Maracanã. (Foto: Divulgação)
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

O posto especial de vacinação contra Covid-19 da Secretaria de Estado de Saúde (SES) no Estádio de Atletismo Célio de Barros, no Maracanã, será reaberto nesta quinta-feira (22), informou o governo estadual.

A ação é exclusiva para que o público que tomou a primeira dose no local complete o esquema vacinal.

Todos foram imunizados com a vacina Oxford/Astrazeneca e a organização da segunda dose levou em conta o intervalo de oito semanas.

A data e a hora da vacinação já começaram a ser encaminhadas por SMS para os celulares cadastrados no aplicativo gratuito “Vacina Covid RJ” ou por meio do formulário no site Vacinação Covid-19 (https://vacinacaocovid19.saude.rj.gov.br). Dúvidas podem ser tiradas pela Ouvidoria 0800 025 5525.

Unidade de vacinação

O posto de vacinação no Maracanã foi inaugurado em 28 de abril para atender portadores de autismo, síndrome de Down, paralisia cerebral, nanismo, mielomeningocele e deficiência visual com 18 anos ou mais. Em pouco mais de um mês de funcionamento, foram imunizadas 3.760 pessoas com a primeira dose da vacina contra a Covid-19. Após a conclusão do período previsto para a vacinação de pessoas com comorbidades, houve uma redução da procura pelo atendimento, e a unidade foi fechada no dia 02.06.

Nesta fase, o posto especial de vacinação vai funcionar de segunda a sexta-feira, das 9h às 16h, com quatro tendas, sendo duas em formato drive-thru e dois postos fixos, com capacidade para atender 320 pessoas por dia.

“O governo do estado montou esse posto para ampliar a imunização de pessoas mais vulneráveis. Muitos têm dificuldade em seguir os protocolos, em especial o uso de máscaras de proteção, a lavagem das mãos e a etiqueta respiratória”, afirmou o secretário de Estado de Saúde, Alexandre Chieppe.

pt Português
X
Open chat