Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. ©2019 Diário do Rio.

Entrevista com Gardênia Cavalcanti: “Tudo que é espontâneo é verdadeiro. Sou muito natural, às vezes me perguntava se era legal ser assim”

Subtítulo: Apresentadora do Vem Com a Gente, na Band Rio, Gardênia contou como foi a mudança da área de cosméticos para a televisão e o sucesso (Foto: Divulgação)
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

Por Guilherme Abrahão

Apresentadora do Vem Com a Gente na TV Band Rio, madrinha das ações sociais do Cristo Redentor, colunista do Jornal O Dia e empresária. É assim que a Gardênia Cavalcanti se descreve em seu perfil na sua principal rede social. E a  apresentadora da emissora carioca é muito mais do que isso. Gardênia é um exemplo de superação e de que quem batalha chega longe na vida. E nesta semana, a apresentadora aceitou o convite do Jornal DR e bateu um papo exclusivo. Ela falou da carreira, de futuros projetos e tudo o que passou para ser hoje um dos principais nomes da Band Rio. e a batalha não foi fácil para a nordestina de Pernambuco.

Em sua terra natal, ela trabalhou com cosméticos em grandes empresas, até chegar à Rádio Clube AM, de Recife. Lá ganhou destaque e partiu rumo ao estrelato na televisão, até chegar ao Rio de Janeiro. Mas como esperado, nunca foi fácil para a apresentadora.

“Não foi fácil porque sempre fui ativa demais, sair, prover, trabalhar com resultados, mas foi importante a fase para que eu pudesse viver o meu sonho, ser mãe.Aos poucos, me acostumei com a cidade maravilhosa, essa gente feliz! Retomei minha vida profissional, já são onze anos. Me sinto carioca (risos)”, contou.

Madrinha dos eventos beneficentes no Cristo Redentor, Gardênia apresentou no último dia 30 ao lado do ator Bruno de Lucca e Padre Omar Raposo, a live solidária do O Arraiá do Redentor. O primeiro arraiá foi realizado pelo Santuário Cristo Redentor, em benefício da campanha social “Cristo Redentor, Eu Quero Doar”, que está ajudando milhares de pessoas em situação de vulnerabilidade social. 

“Não poderia perder a oportunidade de homenagear a minha terra, a minha gente do nordeste nesta ocasião, por isso escolhi me caracterizar de Maria Bonita. É uma alegria muito grande ter sido escolhida para ser madrinha dos projetos sociais do Cristo Redentor”, comentou Gardênia.

Confira agora, o bate-papo exclusivo da apresentadora com o Jornal DR1.

Jornal DR1: Como foi essa mudança na carreira de executiva para apresentadora de TV?
Gardênia Cavalcanti: Sempre participava de programas de TV dando entrevistas como executiva de cosméticos. Tinha alguns negócios no setor de beleza, por ser muito jovem, chamava a atenção por ocupar um cargo tão alto em uma multinacional,quando uma emissora de Pernambuco idealizou um programa de beleza, pensaram no meu nome para apresentar. Fomos pioneiros no estado de Pernambuco, ali nasceu a apresentadora. Seis meses depois fui convidada pela Band local. Aos poucos, a apresentadora foi tomando o espaço da executiva.

JDR1: Quais os grandes desafios que ser apresentadora oferece?
GC: Somos humanos, tem dias que não estamos bem, somos sentimentos. Apresentar um programa diário requer equilíbrio. No ar temos que apresentar com maestria, passar informação ou no meu caso, entretenimento e leveza, a proposta do vem com a gente!  A força de vontade tem que ser diariamente, coragem ! Estamos vivendo um momento de mudanças na comunicação, precisamos acreditar e inovar! 

JDR1: Como foi a mudança do nordeste para o Rio de Janeiro?
GC: Casei com um “Mineiroca” e mudei para cuidar da minha família. Foi uma escolha difícil, minha vida estava no Recife, meu trabalho, amigos. Fiquei quase cinco anos dona de casa, priorizei o cuidar do meu menino, Miguel.  Não foi fácil porque sempre fui ativa demais, sair, prover, trabalhar com resultados, mas foi importante a fase para que eu pudesse viver o meu sonho, ser mãe.Aos poucos, me acostumei com a cidade maravilhosa, essa gente feliz! Retomei minha vida profissional, já são onze anos. Me sinto carioca (risos). 

JDR1: Tem algum projeto em andamento?
GC: Vários! Na televisão temos algumas novidades que estão vindo por aí … Entre outras que andam paralelamente, que ainda não podemos divulgar. 

JDR1: O que a Gardênia evoluiu do início na televisão para hoje em dia ?
GC: Mais tranquila, menos preocupada com o sotaque que vem naturalmente e faz parte de mim. Tudo que é espontâneo é verdadeiro. Sou muito natural, às vezes me perguntava se era legal ser assim. Hoje vejo que preciso cada vez mais ser eu mesma! Mãe, madura, mulher… Da menina de outrora só os sonhos e a alegria de viver continuam . 

JDR1: Qual conselho dá pra quem sonha seguir esse ramo da televisão?
GC: Perseverança, estudar, saber o foco . Tem gente que vai para vários lados, se não soubermos onde queremos chegar nunca conseguiremos o nosso destino, certo? Você deseja ser apresentador ? Se preparem! E de verdade, não escute os nãos da vida. Quando cheguei aqui ouvi de uma xenofóbica: ‘Onde essa Nordestina pensa que vai chegar no Rio de Janeiro?’ Ouvi e não respondi na época. Minha resposta veio com o tempo, dedicação e trabalho. Cheguei até aqui e chegarei onde eu quiser. Já disse o poeta, “ a vida se dá pra quem se deu”.

pt Português
X
Open chat