Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. ©2019 Diário do Rio.

O Apagão do CNPQ

Foto: Reprodução
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

Pesquisadores de todo o país estão sem acesso à plataforma Lattes desde o fim de semana após uma pane técnica. O sistema do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico), vinculado ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações, congrega os dados de todos os personagens da ciência no Brasil e de seus trabalhos ao longo de anos.

O órgão, vinculado ao Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), está entre as principais agências de fomento à pesquisa no país e suas plataformas online são essenciais para a concessão de bolsas aos estudantes e para a coordenação de estudos entre diferentes grupos espalhados pelo Brasil e pelo mundo.

Nas redes sociais, os cientistas estão usando o termo “apagão do CNPq” para se manifestar sobre a situação e contar como o trabalho deles é prejudicado por essa indisponibilidade. O neurocientista Stevens Rehen, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), por exemplo, disse no Twitter que a situação representa “uma metáfora cruel para o que vive toda a comunidade científica brasileira diante de um governo que não acredita em ciência”.

Entre todos os sistemas afetados, aquele que vem gerando a maior comoção entre os especialistas é a indisponibilidade da Plataforma Lattes. Descrita genericamente como um “Linkedin dos cientistas”, trata-se de um site que reúne toda a trajetória acadêmica dos pesquisadores brasileiros (ou de estrangeiros que têm alguma relação com nosso país). Professores e estudantes cadastram ali as informações sobre a produção acadêmica, as pesquisas em andamento ou finalizadas, os artigos publicados, as bolsas conquistadas, entre muitos outros detalhes.

Marcos Pontes, ministro da pasta, falou durante live na última quarta-feira (28) apenas que “teve um problema no componente de um dos computadores, que causou uma falta de acesso de interface. Por isso, não dá para ter contato com os dados.”.

Em uma explicação feita em um vídeo no YouTube, publicado no fim de tarde da última quarta-feira (28), o CNPq informou que houve um problema na controladora do storage (equipamento responsável pelo armazenamento de dados). Apesar disso, o órgão ressaltou que nenhum dado foi perdido e que a peça será trocada em breve, fazendo com que o serviço seja prontamente restabelecido. Ainda de acordo com o órgão, o mal funcionamento ocorreu durante um processo de migração de dados para um novo computador.

Anderson Luiz Ferreira, professor assistente da UFG (Universidade Federal de Goiás) em Catalão, destaca que o falta de recursos é o maior problema. “O contingenciamento de verba tem prejudicado a pesquisa, sem dúvida, mas afeta toda a infraestrutura do CNPq e esse problema no computador é um exemplo disso.”

“Apesar dos comunicados, não estamos seguros que teremos todos os dados de volta, além disso, diferentes diretórios estão atrelados à plataforma e não sabemos qual a dimensão desse apagão, não temos muitas informações sobre o que ocorreu”, desabafa. “O prejuízo já está posto.”

Não é de hoje que a falta de verba do governo para as instituições atreladas à ciência e tecnologia vem trazendo dificuldade a pesquisadores e trabalhadores da área, e o pior é a minimização do problema o que deixa a todos ainda mais inseguros. Esperemos pela resolução do caso.

Aisha Raquel Ali
Webdesigner, assessoria em social media e marketing
aisha.raquel@jornaldr1.com.br

pt Português
X
Open chat