Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. ©2019 Diário do Rio.

Brasil vence Argentina na estreia do Mundial Sub-18 de vôlei

Foto : Divulgação
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

A seleção brasileira feminina de vôlei estreou com o pé direito no Mundial Sub-18, nesta terça-feira, em Durango, no México. O time dirigido por Hylmer Dias venceu por 3 sets a 0, com parciais de 25/23, 25/22 e 25/16, pelo Grupo D. Nesta quarta-feira, o desafio será a Rússia.

Estrear com vitória sempre é bom, traz confiança para cada uma e para o time todo. Mas essa vitória não garante nada para a gente. Então, temos que focar a cada jogo para conseguirmos alcançar nosso objetivo – comenta a líbero Sophia Dantas, de 17 anos, que é atleta do Tijuca Tênis Clube.

Fã de Camila Brait e Fabi, Sophia começou no vôlei aos 9 anos, em uma escolinha próxima de casa, porque sua mãe, Tatiana, sempre a incentivou a praticar um esporte. E, entre as opções que tinha na época, a filha optou pelo vôlei.

Atuando pelo TTC desde 2018 (antes jogava pelo Flamengo), Sophia começou, ano passado, a ser chamada para passar algumas semanas no Centro de Desenvolvimento de Vôlei, em Saquarema, da CBV, onde as seleções, tanto de base quanto as principais, se preparam para competições:

Eu sempre fui muito dedicada e sempre quis alcançar a seleção brasileira, então com muito treino e participando de campeonatos importantes, consegui ser vista e chamada para os treinamentos no CDV.

A rotina de treinos em Saquarema é bastante puxada. As jogadoras treinam em dois períodos, além de trabalhar a parte física. E as folgas não são muitas.

E Sophia ainda concilia os treinos e competições com as aulas do CEL Intercultural School, de onde é aluna da 3ª Série.

O colégio, aliás, é um grande aliado no dia-a-dia da líbero.

Sempre que não estou treinando, tento fazer os deveres da escola. Agora, com o formato on-line, tudo ficou mais fácil, já que consigo ter acesso às aulas a qualquer hora. Então eu assisto às aulas durante meu tempo de folga e quando tenho prova, tento adaptar o horário.

Gratidão ao CEL

Há 10 anos no CEL, Sophia é muito grata ao colégio, pelo qual colecionou alguns títulos:

Sem o CEL eu não estaria onde estou agora. Comecei a me interessar mais pelo vôlei quando entrei no time do colégio, que abriu muitas portas para mim. Ganhei Campeonatos Estaduais, Brasileiros e um Mundial vestindo essa camisa. Além disso, o CEL não forma só o aluno, ele sempre teve o objetivo de formar um bom cidadão completo e eu sempre admirei muito isso. E fico feliz de fazer parte dessa instituição.

Coordenadora da unidade Barra da Tijuca, onde Sophia estuda, Camila Fernandes tem muito orgulho pela trajetória da aluna:

A Sophia é muito esforçada e inteligente, fazemos o possível para ajudá-la a conciliar a vida de estudante com a de atleta. E ela tem se saído muito bem.

Coordenador de Educação Física do CEL, Bruno Senna viu as conquistas de Sophia, nas quadras e nas salas:

Ela é uma menina excepcional. Sempre pronta para participar dos eventos esportivos pelo CEL. Talentosa e estudiosa. A ida para o Mundial Sub-18 vai coroar a dedicação que ela teve desde que começou a praticar o vôlei no Flamengo – comenta Bruno.

Além do CEL, a filha multicampeã de Tatiana também demonstra gratidão ao TTC:

Cheguei lá no meu primeiro ano de infantil, com o intuito de evoluir o meu vôlei, e fui muito bem recebida pelas meninas e pela comissão técnica. Nesses 3 anos, conquistei vários campeonatos, o de Estrela e o Campeonato Brasileiro Interclubes, por exemplo, que são uns dos mais cobiçados da base. Conseguimos o ouro e foram campeonatos muito importantes pra mim. Hoje em dia, posso dizer que eles são como uma família pela história que construímos juntos.

pt Português
X
Open chat