Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. ©2019 Diário do Rio.

eSports: China X Jogos eletrônicos

Foto: Divulgação/Riot Games
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

A indústria dos jogos é a que mais cresce em todo o mundo. Ao decorrer de uma década para hoje em dia, é perceptível o nível em que os jogos estão evoluindo e uma prova que isso está realmente acontecendo e pretende só se aprimorar são os jogos em realidade virtual.

Com a evolução desses jogos eletrônicos e tecnologia junto a ela, também entra a parte em que as pessoas se tornam parte desses jogos, não levando para o lado competitivo, mas sim para o lado social. Uns vão chamar isso de vício e uns vão defender que o jogo faz parte da vida deles, e é exatamente esse problema que hoje entra na China.

Menores de 18 anos de idade no país agora só poderão jogar online por três horas na semana, sendo uma hora por dia: às sextas-feiras, sábados e domingos. A National Press and Publication Administration, que regula o mercado de videogames na China, foi checada por uma agencia de notícias estatal Xinhua, que apurou que essas atividades serão apenas entre os horários de 20h e 21h. Com um apelo para as empresas, instruiu que impeçam que os menores de 18 anos de idade joguem fora desse horário.

Essa nova regra começou a valer desde o primeiro dia de setembro. Antes, já existia uma restrição para os jogos online para os menores de idade, porém era para todos os dias da semana e por 90 minutos diários. Nos feriados eles poderiam se divertir durante três horas. O argumento da NPPA foi sobre a preocupação de longa data com o que o jogo excessivo pode causar na saúde dos jovens.

É bom bater na tecla e lembrar o que o esporte eletrônico está fazendo com a vida de diversas pessoas em todo o mundo. E se a gente olhar pelo lado da China, a indústria é muito limitada, tendo em vista que os profissionais conseguem se dedicar realmente somente no auge dos 18 anos de idade. Mas claro que isso não é uma desculpa para não ter pro players no cenário. Por exemplo, o Mundial de League of Legends de 2020 recebeu 4 times chineses como: JD gaming, Top Esports, Sunning e LGD Gaming, sendo a Sunning a única a chegar na final do campeonato. A equipe não conseguiu a vitória em cima da organização coreana a Dawmon Gaming, mas mostrou que o pais é forte e tem muitos talentos.

Valorant na China

A Riot Games, empresa responsável pelo League of Legends e Valorant, anunciou também no inicio de setembro que o game Valorant, será lançado em breve na da China, o processo foi registrado e o servidor no país poderá ficar disponível a qualquer instante. A empresa já até dedicou um site exclusivo para a China. Faltando mesmo somente a provação da National Press and Publication Administration.

Valorant é jogo de gênero FPS, muito parecido com o Counter-Strike só que com uma temática mais de ficção/fantasia.

Mesmo com essas restrições o esporte eletrônico da China não é fraco, então seria realmente uma forma de manter os jovens longe dos vícios eletrônicos e controlar mais a população para um caminho mais saudável. Me digam o que acharam da atitude da China?

Jonathan Oliveira
Designer gráfico, fotógrafo e diagramador do Jornal DR1
jonathanoliveira@jornaldr1.com.br

pt Português
X
Open chat