Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. ©2019 Diário do Rio.

Opinião: O grito de liberdade ecoou em mais de 5 milhões de vozes

Foto: Marcos Correa/PR
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

Contrariando aqueles que apostam nas posturas antidemocráticas, leia-se os corruptos do Congresso Nacional, os empresários (empreiteiros e banqueiros) envolvidos na “Lava Jato”, os ministros do STF e a grande imprensa falada e escrita, o povão patriota e cansado de tantas violações da nossa “Carta Magna”, em uma só voz em todo território nacional, foi as ruas e praças clamar por “LIBERDADE”.

Os hipócritas da vez, que agora se dizem preocupados com as milhares de vítimas da pandemia, os 15 milhões de desempregados e os 50 milhões vivendo abaixo da linha da miséria, foram de público criticar as manifestações democráticas do 7 de setembro.

O ministro Fux, em seu discurso pós-manifestações democráticas, limitou-se a defender as prerrogativas do STF, como se houvesse intenção de fechar essa instituição. Fux em nenhum momento enalteceu o grito de liberdade ecoado em todo País. Pelo contrário, limitou-se a defender os interesses da Corte, que consome mais de R$ 700 milhões por ano dos bolsos dos brasileiros. Se Fux estivesse de fato preocupado com a democracia e com o povo, certamente anunciaria medidas de contensão das despesas astronômicas consumidas dos cofres públicos, revertendo-as para o bem comum, ou seja, para aplacar a fome de milhares.

Na mesma cantilena seguiu o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, que rejeitou o pedido de impeachment contra o ministro Alexandre de Moraes, e o presidente da Câmara Arthur Lira, ambos submissos aos ministros do Supremo Tribunal Federal, vide “Inquérito das Fake News”, a prisão de deputados, jornalistas e pessoas comuns que emitiram suas opiniões contrárias a do ministro Alexandre de Moraes em uma mesa de bar.

O que estamos vivendo nesses últimos 2 anos, é um desrespeito às instituições democráticas pelos ministros do STF, apoiados pelos presidentes da Câmara, do Senado, dos partidos de centro e de esquerda e da grande imprensa, que perdeu a mamata dos recursos dos cofres públicos.

Essa corja e todos aqueles que a apóiam querem a volta da corrupção, dos desmandos o que demonstram que não ligam a mínima para o povão que pagam seus polpudos salários.

A pergunta que não quer calar: alguém elegeu esses onze do STF? Quem eles representam. Com certeza absoluta não é o povão. Sabemos que esses senhores da capa preta representam o que é de mais nocivo para nossa Pátria, para o Estado Democrático de Direito, para nossa liberdade.

Rememorando o saudoso deputado Ulisses Guimarães:

“A Constituição certamente não é perfeita e ela própria admite reforma. Quanto a ela discordar sim; Divergir sim; Descumprir jamais; Afrontá-la nunca. Traidor da Constituição é  traidor da Pátria; Conhecemos o caminho maldito; Rasgar a Constituição;  Trancar as portas do parlamento; Garrotear a liberdade; Mandar os patriota para cadeia; Pro exílio e pro cemitério…”

Parece que estamos vivendo esse filme patrocinado pelo STF.

pt Português
X
Open chat