Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. ©2019 Diário do Rio.

Um dos principais espaços de exposições do Rio, Casa França-Brasil retoma programação

Foto: Divulgação
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

Um dos principais espaços de exposições do Rio de Janeiro, a Casa França-Brasil, que fica no Centro da capital e é vinculada à Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa, retomou a sua programação ao público com uma mostra que reúne quatro expoentes da arte contemporânea.

O espaço está reaberto desde quinta-feira (09/09) com a exposição  “Forma e Cor”, reunindo obras dos pintores Luiz Aquila e Marcos Duprat e dos escultores Emanoel Araújo e Luiz Hermano.

A entrada é gratuita, e são exigidos o uso de máscara e distanciamento entre os visitantes por causa da pandemia da Covid-19.

“A Casa França-Brasil é um ícone do Centro Histórico do Rio, e sua reabertura é fundamental para que todo o entorno seja recuperado. É um brinde aos moradores da cidade e aos visitantes, que poderão voltar a admirar a beleza da arquitetura do lugar e, ao mesmo tempo, desfrutar das exposições e demais eventos culturais que a Casa abriga”, afirmou a secretária de Estado de Cultura e Economia Criativa, Danielle Barros.

Marcos Duprat também assina a curadoria da exposição junto com a diretora da Casa, Helena Severo. A seleção das obras é uma homenagem à crítica de arte, poeta e diplomata Vera Pedrosa, uma admiradora e influenciadora da obra dos artistas, falecida em fevereiro deste ano, aos 85 anos.

São 20 trabalhos que exploram de forma diversa o abstracionismo, tanto na construção cromática quanto na utilização das linhas geométricas. Apesar de seguirem vertentes diferentes, os artistas tiveram o privilégio de conhecer Vera e aprender com seu conhecimento, percepção e sensibilidade. Os quatro tiveram suas obras como objeto de crítica da autora.

“A exposição teve o objetivo de fazer a aproximação de pintura e escultura porque também é importante esse diálogo de duas expressões diferentes no mundo das artes plásticas”, explica Helena Severo.

Ainda segundo a diretora, a reabertura da Casa contribui para a revitalização do Centro do Rio e devolve o espaço cultural ao circuito cultural da cidade, do estado e do Brasil.

“Forma e cor” é apenas a ponta de lança da nova fase da Casa França-Brasil. Está programada ainda para este ano a exposição “Uns sobre os outros — história como corpo coletivo”. Em agosto do ano que vem, será a vez de “Tarsila: uma coleção de desenhos”, que celebra os 100 anos da Semana de Arte Moderna de 1922. A programação também inclui eventos de música e cinema, que serão anunciados nas próximas semanas.

A Casa França-Brasil fica na Rua Visconde de Itaboraí, 78, Centro do Rio, e funciona de quarta a domingo, das 12h às 18h.

pt Português
X
Open chat