Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. ©2019 Diário do Rio.

Colégio arrecada 2780 unidades para a campanha Meias do Bem

Foto : Divulgação
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

Ao longo dos anos, o CEL Intercultural School tem participado de várias iniciativas solidárias. E uma das mais recentes foi a Meias do Bem. Em parceria com a loja Puket, de roupas e acessórios infantis, o colégio arrecadou, em suas quatro unidades, após pouco mais de um mês, 2780 meias. As doações serão revertidas em cobertores para moradores de rua. A cada 40 pares doados, as pessoas necessitadas recebem um cobertor e um par novo de meias.

Não é só uma campanha, mas um service learning, que é um trabalho da Educação do Caráter. Nele, além de fazer uma boa ação para alguém, há um ganho acadêmico para os alunos e uma reflexão final – explica Vitoria Padilla, coordenadora geral da Educação Infantil e Ensino Fundamental I do CEL.

Nossos alunos trabalharam com Matemática: quantas meias são necessárias para transformá-las em um cobertor. E, também, nas aulas de CEL Maker, construíram um aparelho que contabilizava cada meia que entrava na doação. Ou seja, não era apenas uma campanha, mas um ganho acadêmico, como, normalmente, acontece nas iniciativas das quais participamos – exemplificou Vitoria.

Uma das estratégias empregadas é a política dos 5R’s: repensar, recusar, reduzir, reutilizar e reciclar. O primeiro ponto é repensar, porque precisamos primeiro refletir sobre hábitos de consumo e descarte – continua a coordenadora.

Gerente da unidade da Puket que recebeu as doações, Glaucia ficou feliz com a parceria com o CEL:

É muito importante, porque despertamos esse assunto nos alunos e, ao mesmo tempo, eles conhecem nossa marca, que fica mais consolidada em quem já a conhecia.

Início em 2013:
O projeto Meias do Bem teve início em 2013:

Fazemos meia há mais de 30 anos e, neste processo produtivo, sempre sobram fiapos, pedaços de meias velhas que a gente sempre deu para transformar em cobertores. Aí a gente estava pensando e vendo a campanha do agasalho, que é muito legal: as pessoas dão roupas velhas a quem precisa. Só que, normalmente, as meias velhas a gente joga fora. Foi aí que surgiu a ideia do Meias do Bem. Já tínhamos o processo produtivo, e por que não coletar todas essas meias que, em geral, iam para o lixo, e transformar em cobertores? –  indaga Cláudio Bobrow, sócio-fundador da Puket e idealizador do projeto.

pt Português
X
Open chat