Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. ©2019 Diário do Rio.

COP 26

Foto Divulgação
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

Por Rafael Zarvos

 

Dia 31 de outubro, em Glasgow, Escócia, daremos inicio à tão comentada e esperada COP 26. Mas afinal, você sabe o que significa e qual a sua importância?

Tudo começou na Eco-92 ou como também é conhecida, na Rio 92. Naquela ocasião foi firmado um tratado internacional chamado Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre a Mudança Climática cujo o objetivo era tratar da estabilização da concentração de gases do efeito estufa (GEE) na atmosfera. Naquele momento ainda não havia a imposição de um limite de emissão, tão somente a obrigatoriedade das “Partes”signatárias” em transmitir informações elencadas no Tratado. Estas informações deveriam ser passadas na “Conferência das Partes’, dai COP, que teve a sua implementação em 1995, COP1, na cidade de Berlim. Ali foram assumidos compromissos com a estabilização da concentração de GEE. Em 97, tivemos a COP3, quando é assinado o Protocolo de Quioto, definindo metas para a emissão de GEE. Em 2015 acontece então a COP21 em Paris que deu origem ao famoso “Acordo de Paris” onde ai sim, os Estados estabelecem que o ‘aquecimento global deveria ser contido abaixo de 2 ºC, preferencialmente em 1,5 ºC.

Nesta reunião intergovernamental que começa no dia 31 de outubro e vai até o dia 12 de novembro, os países deverão apresentar os seus planos de corte de emissão de GEE até 2030 para chegarmos em 2050 na neutralidade de emissão.

Além disto outros anúncios poderão ser incluídos nesta Conferência tais como aceleração na mudança de carros tradicionais para carros elétricos, diminuição do corte de árvores, eliminação da energia de carvão e financiamento por parte dos países desenvolvidos de iniciativas que estimulem ações de mitigação e adaptação às mudanças climáticas. Por fim, outra pauta da COP26 que gera grande expectativa é a regulamentação do art.6º do Acordo de Paris que trata do mercado de carbono. Uma vez regulamentado, este mercado pode gerar para o Brasil negócios de até 100 bilhões de dólares até 2030.

pt Português
X
Open chat