Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. ©2019 Diário do Rio.

Ele conquistou o país com a Turma da Mônica

Foto instagram
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

Filho de um dono de gráfica, pintor e poeta e de uma poetisa, Mauricio de Sousa conviveu com a arte desde pequeno. Sua casa vivia lotada de artistas. E ele aproveitava as visitas para exibir seus desenhos, que lotavam as páginas dos seus cadernos. E a cada dia mais, o menino foi se apaixonando pela arte de desenhar. Passou a fazer cartazes e pôsteres, alguns, inclusive, integravam os jornais de Mogi das Cruzes. Começou a procurar emprego como desenhista, mas durante cinco anos trabalhou como repórter policial na Folha da Manhã, mas sempre dava um jeito de ilustrar suas reportagens, o que era bem aceito pelos leitores.

Em 1959, criou os personagens: o cão Bidu e Franjinha e teve sua primeira tirinha publicada no jornal Folha da Tarde. Maurício começou a trilhar o sonho de ser desenhista. Em 1960, nasceu Cebolinha, o personagem divertido, que troca o R pelo L. Em 1963, ele consagra de vez seu nome como um dos maiores cartunistas do Brasil com a criação da personagem Mônica, a menina gorducha, dentuça e brigona. A Turma da Mônica conquistou o país inteiro e protagonizou comercial, filmes e programa de TV.

Pai de 10 filhos, Maurício se inspirou nos próprios rebentos para a criação dos principais personagens, entre eles: Mônica, Magali, Marina, Maria Cebolinha, Nimbus e Do Contra. Titi e Franjinha são inspirados em seus sobrinhos .

Maurício já foi condecorado várias vezes e em 2007, virou enredo da escola de samba Unidos do Peruche. e em 2011, ele tomou posse na Academia Paulista de Letras.

pt Português
X
Open chat