Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. ©2019 Diário do Rio.

Fiocruz e Astrazeneca assinam declaração para aquisição do Ingrediente Farmacêutico Ativo

Foto Agência Fiocruz de Notícias
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

Mais uma boa notícia na luta contra a Covid-19. Numa cerimônia realizada na sede da Astrazeneca, em Cambridge, no Reino Unido, A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) assinou uma declaração conjunta de compromisso para aquisição de Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA), que visa à produção de 60 milhões de doses da vacina Covid-19 (recombinante) para compor as entregas da Fundação em 2022. O compromisso firmado pelas instituições tem por objetivo garantir uma ampla disponibilidade de doses da vacina ainda no primeiro semestre. Com a garantia do insumo importado, a Fiocruz poderá entregar, por meio do Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos/Fiocruz), 120 milhões de doses de janeiro a junho do próximo ano, das quais 60 milhões com o IFA nacional e 60 milhões com o novo acordo. Desse modo, o Sistema Único de Saúde (SUS) deve receber 120 milhões de doses da vacina AstraZeneca contra covid-19 nos primeiros seis meses do ano que vem.
Dependendo da situação epidemiológica da Covid-19 no Brasil, a segurança de disponibilidade deste quantitativo permitirá ao Ministério da Saúde estabelecer diferentes protocolos de vacinação e dispor da vacina para implementar doses de reforço nos grupos em que ela for necessária. O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, a presidente da Fiocruz, Nísia Trindade Lima, o CEO Global da AstraZeneca, Pascal Soriot, e o presidente da AstraZeneca no Brasil, Carlos Sánchez-Luis, participaram do evento.
O diretor da Bio-Manguinhos/Fiocruz, Mauricio Zuma, afirma que o acordo vai aumentar muito o número de doses da vacina já no início do novo ano. “ O novo compromisso, aliado à produção nacional, visa concentrar um número maior de doses no primeiro semestre de 2022 para garantir a possibilidade de implantação, pelo Ministério da Saúde, da estratégia de vacinação que se mostrar necessária diante de diferentes cenários que a pandemia possa apresentar”.

A presidente da Fiocruz, Nisia Trindade Lima, revelou que a parceria entre a Fundação e a Astrazeneca vem evoluindo cada dia mais. “A Fiocruz está buscando se antecipar aos possíveis cenários de evolução da pandemia para atender às demandas do Ministério da Saúde e da sociedade brasileira e a garantia desse IFA no início do ano que vem nos permitirá essa flexibilidade. Hoje, mais uma vez, contamos com a parceria da AstraZeneca, uma parceria que vem se fortalecendo e se expandindo inclusive para o enfrentamento de outros agravantes”, explicou.
Ainda no encontro, a presidente da Fiocruz e o o presidente da AstraZeneca no Brasil, Carlos Sánchez-Luis, assinaram uma carta de intenções que visa uma futura parceria entre a instituição britânica e o Instituto de Tecnologia em Fármacos (Farmanguinhos/Fiocruz) no enfrentamento a Diabetes, Doença Renal Crônica e Insuficiência Cardíaca. No documento, as instituições se comprometem a discutir potenciais atividades de colaboração tecnológica, bem como ações de apoio à preparação ou ao desenvolvimento de estudos que possam contribuir para o fortalecimento do Sistema Único de Saúde no enfrentamento a esses agravos.

pt Português
X
Open chat