Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. ©2019 Diário do Rio.

Nissan vai abrir mais 578 postos de trabalho no Rio de Janeiro, diz governo

Foto: Divulgação
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

A montadora japonesa Nissan vai abrir 578 postos de trabalho em sua fábrica no Rio de Janeiro, informou o governo estadual.  As vagas serão para viabilizar a operação de mais um turno de produção, previsto para fevereiro de 2022, no complexo industrial de Resende, no Sul Fluminense.

O anúncio foi feito durante reunião do presidente da Nissan no Brasil, Airton Cousseau, com o governador Cláudio Castro e o secretário de Estado da Casa Civil, Nicola Miccione, no Palácio Guanabara.

“O Rio de Janeiro está em outro momento e volta a ser atraente para os investidores. Esta é uma operação de extrema importância para o estado. Nossa prioridade é a geração de empregos para o desenvolvimento do nosso estado, e mais uma vez, a Nissan reafirma o compromisso com o Rio”, 

ressaltou o governador Cláudio Castro. 

A montadora investiu R$ 2,6 bilhões na construção de seu complexo industrial próprio em Resende. A unidade industrial que receberá um novo turno de trabalho foi inaugurada em abril de 2014 e tem a capacidade de produzir 200 mil carros e 200 mil motores por ano.

Para começar o segundo turno no prazo previsto, a Nissan vai iniciar a seleção e a contratação dos novos funcionários já neste mês de outubro. Com isso, a empresa vai reforçar a produção para atender a demanda pelo Novo Kicks, lançado em março, tanto no mercado interno quanto em outros países, com a exportação do modelo brasileiro. Atualmente, há 2 mil funcionários trabalhando na fábrica de Resende.

“O Rio de Janeiro tem, hoje, o segundo maior parque automotivo do país no Sul Fluminense. Este é um segmento que passa por um momento de transformações e reinvenção. Estamos em contato com as montadoras para entender os desafios e oferecer os incentivos para que, em breve, o estado ocupe o protagonismo no setor”, afirmou o secretário de Desenvolvimento Econômico Vinicius Farah.

pt Português
X
Open chat