Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. ©2019 Diário do Rio.

O herói da Rocinha

Foto Divulgação
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

Nem todo herói usa capa, escudos ou armaduras, alguns usam como arma principal o amor, a garra, a solidariedade e muita, muita persistência. Um desses está na favela da Rocinha, Rio de Janeiro, e atende pelo nome de Eder Silva. Sim, ele virou um herói para uma média de 50 crianças. Depois de sonhar por 10 anos, em 2019, Eder resolveu transformar o que era um sonho distante em realidade. Num local improvisado, em cima de uma laje, na Rua Dois, ele começou a dar aulas de graça para quatro crianças e começava aí surgir o Favela Ação.

O projeto foi crescendo, cada dia vinham mais alunos e com a garra de um lutador, Eder conquistou um espaço muito maior, uma casa de três andares. No novo local, ele conseguiu a ajuda de alguns professores voluntários.  No primeiro andar, os alunos têm as aulas de reforço escolar, no segundo de violão e no terceiro aulas de boxe. Eles também aprendem inglês e em breve terão aulas de informática e street dance.

“Um amigo me disse ‘Eder só você pode transformar esse sonho em realidade’. As palavras dele me fizeram acordar. Comecei a fazer vários cursos com profissionais do boxe, coloquei meu coração e aconteceu o projeto”.

Além de tirar as crianças e jovens da rua, o Favela Ação tem como objetivo também fazer com que elas aprendam valores como respeito, disciplina, responsabilidade, organização, integridade, honestidade, coragem e acreditem que podem sim ter um futuro melhor. “O meu objetivo não é formar só atletas, é formar campeões para a vida. Que possam ter um futuro digno, melhor”.

Nem mesmo a pandemia foi capaz de frear Eder. Além dos jovens, ele também foi atrás para ajudar a alimentar as famílias. Com ajuda de alguns amigos, conseguiu doações para 2 mil famílias. “Meti a cara, consegui doações. Colocava nas costas e ia entregar as comidas nas casas. Trabalho muito árduo, mas que me fez muito realizado. Ajudar ao próximo é o que me deixa mais feliz”.

Muito emocionado, Eder agradeceu à visita da equipe do jornal DR1 e da Lemos Santos Advocacia e fez uma apresentação de boxe com os alunos para nos prestigiar.  “Quero agradecer a presença de vocês. Estou muito feliz e emocionado porque é a primeira vez que recebo uma equipe tão grande para prestigiar o meu projeto. A Dra. Ana Cristina e o Dr. Carlos me deram uma injeção de ânimo e me fizeram acreditar que eu posso ir mais longe, alçar voos mais longos. Já estou treinando com alguns alunos para competição. Eu não vou parar nunca, vou tirar cada vez mais crianças da rua”, finalizou o herói sem capa.

 

 

pt Português
X
Open chat