Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. ©2019 Diário do Rio.

O Vale do Café Convention promove o turismo na região

Foto : Divulgação
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

O maior evento de cafés do Brasil dos dias atuais foi realizado naquela que já foi considerada a porta de entrada e saída dos principais negociadores de cafés durante o século XIX.

O evento, realizado na imponente Casa França-Brasil, nos os dois dias 23 e 24 de Outubro, contou com a participação de mais de 2 mil pessoas que circularam após rigoroso controle e monitoramento sanitário.

A surpresa do evento foi evidenciar os cafés como experiência. Passando pelos métodos de produção agrícola, com ênfase nos pequenos lotes especiais, à diversidade varietal e questões de território, o café hoje é um produto de origem para aqueles que acreditam no café como gerador de valor para um país habituado a lidar com este precioso recurso como commodity há quase três séculos. Apesar de deter a primeira posição na produção e exportação, o Brasil ainda não é reconhecido como um país de apreciadores e produtores de cafés de excelência. Nesse cenário, esse perfil de evento demonstra um potencial quase inestimável para os próximos anos. O café passou a ser um ativo para o turismo pois ele se torna um importante elo na cadeia produtiva quando o tema é sustentabilidade ambiental, cultural e social.

Representamos a região que levão nome da segunda bebida mais consumida no mundo. O nome Vale do Café pode ser pronunciado e compreendido por qualquer ser humano e este é um grande ativo que precisa ser enaltecido a nível internacional. Até há poucos anos, o café na nossa região se resumia à história, hoje podemos mostrar o potencial da nossa cafeicultura no contexto turístico”, revela Luciana De Lamare, Diretora Executiva do Vale do Café Convention & Visitors Bureau.

Aqueles que visitaram o stand da entidade puderam sentir a força do reposicionamento da região enquanto destino sustentável, preocupado com a excelência dos produtos turísticos e com a valorização do território que já foi o maior produtor e exportador de cafés no século XIX, e responsável por 75% da produção mundial. Hoje, além da visita às fazendas históricas, a região conta com diversos atrativos que podem ser encontrados pelo site da entidade.

Uma grande parte do legado material e imaterial vivos do Vale do Café remonta ao ciclo econômico do café.Para compreender todas as consequências da monocultura cafeeira durante o século XIX, tanto as boas, quanto as ruins, o turismo surge como um grande ativo. Temos como responsabilidade a valorização desse patrimônio e o respeito à memória dos povos e culturas que aqui viveram”, complementa De Lamare.

Dentre as surpresas do evento, a premiação do Café Vale do Café, de Conservatória(município de Valença), ganhadora do terceiro lugar do Brasil, demonstrou que a região pode produzir um café de excelência dentro do contexto da animação turística. O Vale do Café Convention & Visitors Bureau ainda oferece uma palestra sobre o reposicionamento da região que será veiculada online no dia 31 de Outubro, às 17h, no site do evento: www.riocoffeenation.com.br

Imagens: Luciana De Lamare, Paulo Roberto dos Santos (Café Vale do Café- 3º lugar) e Wanderson Farias, Secretário de Turismo de Vassouras Palestra sobre o Vale do Café por Luciana De Lamare, Martina D´Ávila, o barista Paulo Rica e Luciana De Lamare Chef Fréderic Monnier e Luciana De Lamare Tânia Araújo no stand da entidade

pt Português
X
Open chat