Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. ©2019 Diário do Rio.

Reunião do Conselho Comunitário de Segurança

Foto : Divulgação
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

Pela segunda vez consecutiva, o Colégio Franco-Brasileiro, em Laranjeiras, recebeu, nesta quinta-feira, dia 21, a reunião mensal do Conselho Comunitário de Segurança Pública da 2ª AISP (Área Integrada de Segurança Pública). Lid eranças comunitárias e representantes da Polícia Militar, da Polícia Civil, da Guarda Municipal e da Prefeitura participaram do encontro.

Embora seja uma instituição de educação privada, o colégio serve ao público. E como instituição pública, ela tem que estar muito coerentemente com sua missão principal que é servir à sociedade, aberta a esta sociedade. E esta sociedade se expressa de uma maneira muito clara por meio deste tipo de conselho. Queremos fazer parte deste processo, servir a ele e, acima de tudo, integrá-lo. E colocar sempre a escola à disposição deste tipo de evento é uma forma de nos integrar a este processo muito maior que é o de construção de uma sociedade muito melhor – explicou Helcio Alvim, vice-diretor do Franco.

Presidente do Conselho Comunitário, a socióloga Regina Chiaradia agradeceu a parceria com o colégio:

Estamos muito agradecidos pela acolhida, o carinho e a empatia que recebemos do Colégio Franco-Brasileiro. Discutir segurança é importante para todos os moradores, principalmente neste momento de pandemia. Para a gente, ser recebido com tanto carinho fez muita diferença.

A área pela qual o 2º BPM é responsável, dividida em duas companhias, abrange um pouco mais de 239 mil moradores e uma população flutuante de pouco mais de 658 mil pessoas, de acordo com o IBGE. São 30 consulados na área do batalhão e algumas comunidades.

80 prisões

O comandante do batalhão, tenente coronel Heitor Henrique Pereira, apresentou diversos números do trabalho do policiamento na região:

Sobre o quantitativo de prisões, no trimestre: Desde a minha chegada, em julho, efetuamos mais de 80 prisões. Ou seja, prendemos mais de um criminoso por dia, a estatística nos mostra isso. Sobre a apreensão de drogas, também temos avançado neste quesito. Há crimes que a gente não prioriza, mas que também são combatidos, como as máquinas caça-níqueis. Na quarta-feira, apreendemos com um preso seis máquinas. Da minha chegada para cá, apreendemos cerca de 50 máquinas. Todas as unidades da Polícia Militar concorrem ao Sistema Integrado de Metas. E, neste último trimestre, o segundo batalhão ficou em quarto lugar no estado. Dos cinco batalhões que atingiram a meta no estado, fomos o único da região metropolitana. Por isso que tenho repetido: nossa missão tem sido cumprida a contento. Está bom, está? Pode melhorar? Sempre. Vamos buscar sempre o melhor – avisou o comandante Heitor.

O tenente-coronel também agradeceu a parceria com os moradores.

Já disse que não trabalho dia algum, estou há 80 dias em Botafogo me divertindo. Quando a gente faz o que a gente gosta, ama, a gente não trabalha, se diverte. Considero os números bem razoáveis, a gente está conhecendo ainda a área do batalhão, suas mazelas. Agradeço a população que nos passa informações e fotos dos criminosos. Vou parafrasesar Charles Chaplin: a persistência é o caminho do êxito. E a gente vai persistir. Não sei até quando é a minha estadia no 2º BPM, mas, enquanto estiver aqui, o que posso oferecer é trabalho e seriedade no trabalho – encerrou o tenente-coronel.

pt Português
X
Open chat