Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. ©2019 Diário do Rio.

Dia da Consciência Negra: Elza Soares, um dos maiores nomes da música popular brasileira

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

 

Dona de uma voz rouca e marcante. Elza da Conceição Soares nasceu no subúrbio do Rio de Janeiro, filha de um operário com uma lavadeira. Elza Soares se tornou referência para mulher negra, é símbolo de força e resistência.

Com apenas 12 anos, Elza teve sua infância interrompida sendo obrigada a casar. Para sobreviver, trabalhou como encaixotando pacotes em uma fábrica de sabão.

A jovem menina aos 15 anos, perdeu o seu segundo filho. Logo, o casamento foi interrompido com a morte do marido, deixando a cantora viúva aos 21 anos. E aos 27, já era mãe de cinco crianças.

Logo após, a cantora conheceu Garrinha, o casal permaneceu juntos por dezessete anos. Depois da aposentadoria como jogador, o atleta se tornou alcoólatra e passou a agredir fisicamente Elza, que não denunciou o caso.

Após experiência de violência doméstica, surgiu a canção Maria da Vila Matilde, onde a cantora afirma: “cê vai se arrepender de levantar a mão pra mim”.

Elza Soares iniciou a vida artística em 1953, ao fazer o seu primeiro teste na Rádio Tupi, no programa de calouros Ary Barroso, conquistando o primeiro lugar.

Em 1959 foi contratada para trabalhar na Rádio Vera Cruz. E iniciou os anos 60, atuando no Festival Nacional da Bossa Nova. Três anos mais tarde, a brilhante artista se tornou representante do Brasil na Copa do mundo no Chile.

Elza Soares ilumina os palcos até hoje. A artista apresentou ao mundo o poder da representatividade negra, além da força da mulher.

pt Português
X
Open chat