Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. ©2019 Diário do Rio.

Dia da Consciência Negra: Ruth de Souza, a maior atriz negra do Brasil

Foto: Divulgação
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

Ninguém abriu tantas portas para artes cênicas no Brasil como Ruth de Souza. A primeira e uma das maiores atrizes negras que já entraram em cena neste país. O Dia da Consciência Negra precisa homenagear e relembrar todos os grandes feitos que ela fez pela arte.

Ruth Pinto de Souza nasce no Rio de Janeiro em 12 de maio de 1921. Até os 9 anos de idade vive com a família em uma fazenda em Porto do Marinho, pequena cidade do interior de Minas Gerais. Com a morte do pai, ela e a mãe voltam a morar no Rio de Janeiro, em uma vila de lavadeiras e jardineiras, no bairro de Copacabana. Interessa-se por teatro ainda menina, quando assiste a récitas no Municipal.

A carioca não gostava de papéis que eram retratados como tolos. Sua preocupação era evidenciar que as personagens também sabiam pensar, fugindo da dinâmica padrão em que atrizes negras eram inseridas.

Em 1953, participou do elenco do filme Sinhá Moça, que lhe projetou internacionalmente e lhe garantiu uma indicação ao Leão de Ouro no Festival de Veneza. Ela concorreu ao lado de Michèle Morgan, Lilli Palmer e Katharine Hepburn. Acabou sendo derrotada, mas deixou para sempre seu nome gravado na história.

Seu último trabalho foi aos 97 anos como Madalena na minissérie brasileira Se Eu Fechar os Olhos Agora, produzida pelos Estúdios Globo e lançada em 2018 A atriz faleceu em 28 de julho de 2019, aos 98 anos, quando internada no centro de Tratamento Intensivo do Hospital Copa D’Or, em Copacabana, na Zona Sul do Rio, em tratamento de uma pneumonia.

pt Português
X
Open chat