Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. ©2019 Diário do Rio.

Teatro Cacilda Becker, reabre suas portas com o espetáculo ‘Cosmogonia Africana’

Foto: Divulgação
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

Com única apresentação, no dia 21, montagem também celebra o Mês da Consciência Negra

O espetáculo Cosmogonia Africana – A Visão de Mundo do Povo Iorubá, do grupo Tambor de Cumba, será encenado no próximo domingo, dia 21, às 19h, no Teatro Cacilda Becker, no Catete, Zona Sul do Rio de Janeiro (RJ). Com única apresentação, a montagem celebra a reabertura do espaço cultural da Funarte e o Mês da Consciência Negra. O trabalho coreográfico representa a gestualidade dos ancestrais africanos e explica o papel e a importância dos elementos da natureza: fogo, ar, terra e água, essenciais à origem do mundo. Os ingressos têm preços populares, R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia-entrada).

Cosmogonia Africana – A Visão de Mundo do Povo Iorubá é um espetáculo de dança afro, que apresenta o mito da criação do mundo pelas perspectivas do povo iorubá um dos maiores grupos étnico-linguísticos da África Ocidental, cujo território se expande pela Nigéria, Togo e República do Benin. Danças, tambores e cantos originários desse povo pretendem despertar o imaginário do público sobre o início do ciclo de criação e reprodução da humanidade, fazendo um paralelo com os orixás enquanto ancestrais iorubás divinizados.

Com duas horas de duração, a montagem pretende alcançar o público de forma democrática, com a finalidade de promover a conscientização a respeito do papel da cultura negra para a formação da identidade do ovo brasileiro. Sete bailarinos compõem o elenco, entre eles, a professora Aninha Catão, que assina a coreografia e a direção geral e artística da obra. De acordo com o Grupo Tambor de Cumba, o trabalho de pesquisa desenvolvido por Marcelo Monteiro foi fundamental para a criação do Cosmogonia Africana, mesmo nome dado ao estudo.

O Teatro Cacilda Becker, espaço dedicado à linguagem da dança e administrado pela Fundação Nacional de Artes – Funarte, será reaberto no próximo domingo, dia 21, voltando a receber o público, presencialmente, após o período de suspensão das atividades devido à crise sanitária.

O grupo artístico comemora o retorno aos palcos do Rio de Janeiro, no mês em que se celebra a consciência negra.

A retomada é uma forma de homenagear colegas artistas que tiveram suas vidas interrompidas pelo coronavírus e, também, seguir com a iniciativa de promover a cultura afro-brasileira, especialmente debatida em novembro.

Espetáculo ‘Cosmogonia Africana – A Visão de Mundo do Povo
Iorubá’

Única apresentação, dia 21 de novembro, às 19h

Ingressos: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia-entrada)

Classificação indicativa: livre
Duração: 120 minutos

pt Português
X
Open chat