Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. ©2019 Diário do Rio.

Turismo arqueológico na região metropolitana

Foto: Edmilson Domingos
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

O município de Itaboraí, a 51 quilômetros de distancia da capital, abriga um local repleto de história.

O espaço hoje conhecido como Parque Natural Municipal Paleontológico de São José de Itaboraí, foi descoberto em 1928, pelo engenheiro Carlos Euler.

O engenheiro foi até o local, atendo ao convite do dono da antiga Fazenda São José o fazendeiro Ernesto Coube que havia achado pedaços de rocha diferentes do normal e convidou Euler para analisar o material, que se descobriu ser calcário, havendo vasta quantidade do material no local.

Com a descoberta, a fazenda foi comprada pela Companhia Nacional de Cimento Mauá. O material extraído foi utilizado na construção da Ponte Presidente Costa e Silva (Rio-Niterói) e do Estádio Mário Filho (Maracanã).

A extração de Calcário durou até o ano de 1984, quando o material acabou na região. O resultado da extração foi uma depressão de 70 metros, que acabou sendo coberta por água da chuva e de lençóis subterrâneos. Formando uma grande lagoa, além da descoberta de vestígios arqueológicos no local.

Em 1990, a Prefeitura Municipal de Itaboraí declarou a área de utilidade pública, através de um processo de desapropriação. Cinco anos mais tarde, nascia o Parque Paleontológico de São José.

Eleito pela Comissão Brasileira de Sítios Geológicos e Paleobiológicos (Sigep), órgão ligado à Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), um dos patrimônios da humanidade.

No Parque já foram descobertos fósseis de diversos mamíferos, gastrópodes, répteis e anfíbios.

Destaque para o fóssil do tatu mais antigo do mundo e o ancestral das emas. Ambos do Paleoceno, datados de cerca de 55 milhões de anos.

Foram achados, também, fósseis de preguiça gigante e mastodonte, da Idade Pleistocênica, aproximadamente 20 mil anos, além de restos arqueológicos, evidenciando a presença do homem pré-histórico no local.

 Visitações

Para agendar uma visita guiada ao parque, o interessado deve entrar em contato através do telefone da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo de Itaboraí, (21) 3639-1908.

Pelo e-mail visitas@ppsji.itaborai.rj.gov.br ou preenchendo o formulário no site do Parque www.ppsji.itaborai.rj.gov.br/.O Parque Fica localizado na Rua José Almeida, s/n (antiga Estrada São José) Cabuçu, Itaboraí – RJ.

pt Português
X
Open chat