Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. ©2019 Diário do Rio.

Estudo preliminar aponta que variante Ômicron causa mais reinfecções

Foto: Gerd Altmann/Pixabay...
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

Estudo produzido por cientistas da África do Sul apontou que a variante ômicron do coronavírus pode resistir da imunidade adquirida por pessoas que já tiveram a covid-19. A pesquisa é uma análise não definitiva, entretanto destaca a preocupação em torno do alto número de mutações que a nova variante dispõe.

Cientistas também analisaram quase 36 mil suspeitas de reinfecção na África do Sul, para procurar mudanças nas taxas de reinfecção durante a pandemia.

Segundo o estudo, não houve aumento no risco de reinfecção durante as ondas provocadas pelas variantes beta ou delta, apesar de estudos apontarem que elas também tinham o potencial de escapar da imunidade.

Agora, os cientistas estão detectando um aumento de reinfecções no país. Embora não tenham sido feitas análises de sequenciamento genético em todos os pacientes para provar que eles estão de fato infectados pela variante ômicron.

O estudo, que não foi formalmente revisado por outros cientistas, estima que a ômicron, pode ter duas ou três vezes mais probabilidade de causar uma reinfecção do que as outras variantes.

“Essas descobertas sugerem que a ômicron é parcialmente impulsionada por uma maior capacidade de infectar indivíduos previamente infectados”, contou a professora da Stellenbosch University e uma das pesquisadoras do estudo, Juliet Pulliam.

Fonte: G1

pt Português
X
Open chat