Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. ©2019 Diário do Rio.

Ansiedade tem recorde de diagnósticos em três anos

Foto: Pixabay
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

A preocupação com o cuidado da saúde mental tem feito as pessoas procurarem cada vez mais por auxílio médico, com uma explosão de casos de ansiedade por conta da pandemia. De acordo com levantamento realizado no banco de pacientes cadastrados no dr.consulta, em 2021, o número de diagnósticos da doença aumentou cerca de 15% em comparação a 2020. Com base em 2019, houve um crescimento de mais de 30%, e um salto de 75% com relação a 2018.

Tal resultado é um reflexo da busca por saúde mental na healthtech, com mais de 116 mil consultas realizadas em 2021, sendo 85% delas de psiquiatria. Em comparação a 2020, houve um aumento de 20% nos atendimentos realizados.

“A pandemia foi uma situação complexa para todos, trouxe inseguranças e impactos que refletiram no aumento ou piora de casos de ansiedade. As pessoas tiveram que aprender a lidar com a instabilidade na vida e no trabalho e inseguras com relação à Covid. Muitos tiveram que lidar com perdas e o isolamento. Com isso, os sintomas de ansiedade se manifestam fisicamente, com sintomas no corpo, ou de forma emocional, com a presença de pensamentos negativos, preocupação, medo e, por muitas vezes, com vários sintomas ao mesmo tempo”, afirma a Dra. Tatiane Vasconcelos, psiquiatra do dr﹒consulta﹒

O impacto nas questões relacionadas à vida profissional e afetiva nos últimos dois anos foram fatores que levaram as pessoas a se preocuparem ainda mais com os cuidados relacionados à saúde mental. O momento atípico aumentou a sobrecarga emocional e, para lidar melhor com os problemas, foi preciso compreender as próprias emoções com a ajuda de um profissional para indicar um tratamento mais adequado.

De acordo com a Dra. Tatiane, para o diagnóstico de ansiedade, é preciso investigar sintomas psicológicos, como dificuldade de concentração, perda na capacidade de lidar com fatores estressantes, não conseguir ter vida social, apatia, desânimo e a sensação de medo. Já entre os sintomas físicos, é preciso se preocupar com o cansaço constante, a alteração no sono, sensação de mal-estar e em alguns casos, a taquicardia. Todos os sintomas podem surgir como uma resposta, principalmente se ocorrem diariamente por mais de 6 meses.

“É importante avaliar na rotina do dia a dia o que tem favorecido a ansiedade: é o excesso de trabalho ou o ambiente familiar? O tratamento vai ajudar a identificar o que tem contribuído para o aumento dos sintomas e avaliar qual o melhor tratamento. Assim, é preciso entender que dentro da ansiedade é avaliado caso a caso, pois existem outros distúrbios psiquiátricos envolvidos, como síndrome do pânico e transtorno obsessivo compulsivo, entre outros”, conta a Dra. Tatiane.

Geralmente, a psiquiatra recomenda que os pacientes encontrem algumas atividades, sejam elas físicas, de lazer e manuais, que acalmem e relaxem. Ela também indica que é importante optar sempre por atividades que estejam ligadas a grupos, para que haja interação e socialização. Atividades manuais, como artesanato ou jardinagem, são opções para um estímulo mental e de relaxamento.

pt Português
X
Open chat