Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. ©2019 Diário do Rio.

Carro elétrico (parte 1)

Foto: Reprodução
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

Os veículos elétricos (VEs) e a mobilidade são vistos em todo o mundo como uma forma possível de cumprir os objetivos climáticos. As cidades chinesas são notórias por sua poluição do ar, que, de acordo com a Organização Mundial da Saúde, causa 1 milhão de vítimas fatais a cada ano. Os veículos são indiscutivelmente os maiores poluidores nessas cidades, o que ajuda a explicar a decisão do governo chinês de priorizar a eletrificação da indústria automobilística. Como resultado, enquanto a Europa e a América ainda estão lutando para fazer a transição para modelos híbridos (PHEV), a China quer mudar diretamente para modelos totalmente elétricos (BEV). Todos sabem que é melhor fazer a transição para os veículos elétricos o mais rápido possível, mas como você pode motivar os consumidores a comprar esses carros, vans e caminhões mais caros? Na China, o governo subsidiou pesadamente os primeiros anos de produção de EV, de modo que a indústria de EV começou a correr. Ao mesmo tempo, o governo tinha um grande motivo oculto, além da saúde de seu povo e do meio ambiente. Os EVs foram vistos como uma maneira possível de quebrar a dependência da nação nas importações de petróleo do Ocidente e do Oriente Médio. O resto do mundo sempre se queixou de que o uso de pesados subsídios estatais pela China era injusto, mas não há dúvida de que eles criaram o impulso necessário para tornar viável a transição para VE. O nível de subsídios está agora sendo gradualmente reduzido, exceto para veículos EV de longo alcance. Essa política tem ajudado a melhorar a qualidade desses veículos, para que agora respondam melhor às necessidades dos consumidores chineses. Os consumidores também são auxiliados por subsídios: as autoridades centrais e locais às vezes contribuem com até 10.000 dólares para a compra de um carro elétrico. Em cidades chinesas como Xangai, a matrícula de um carro comum custa 13 mil dólares americanos e as novas licenças são limitadas. Para carros EV, as matrículas são frequentemente gratuitas e imediatamente disponíveis. Algumas cidades oferecem aos VEs acesso especial a faixas de carpool, estacionamento gratuito e outros benefícios.

Trecho do livro: O Novo Normal da China. https://www.youtube.com/c/PascalCoppens. Contato e informações sobre as palestras de Pascal Coppens: +55(84) 999833497

 

pt Português
X
Open chat