Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. ©2019 Diário do Rio.

Carro elétrico (parte 2)

Foto: Reprodução
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

Na China, um plano de subsídio é baseado em três etapas simples: O passo 1 é encorajar os produtores. Isso ajuda a criar muita concorrência no novo mercado. Os subsídios vão principalmente para os produtores locais, para que seja possível construir uma nova indústria nacional, que mais tarde atrairá investimentos estrangeiros em joint ventures. Isso cria uma oferta de mercado atraente. A etapa 2 torna mais fácil para os consumidores fazerem a mudança. Além dos subsídios nacionais para os consumidores, Pequim também incentiva as administrações locais a competir entre si para oferecer os melhores estímulos de compra aos seus cidadãos. Isso cria demanda de mercado e define um preço de mercado (baixo). A etapa 3 envolve o subsídio sendo cuidadosamente direcionado ao que é melhor para o consumidor e para a sociedade como um todo. Como os preços não podem ser aumentados, isso significa que os produtores precisam inovar para atingir os padrões mais elevados de qualidade que continuarão a atrair clientes, levando à consolidação entre os fabricantes. Isso cria um melhor equilíbrio de mercado. 

Um dos principais problemas dos veículos elétricos é, obviamente, o seu driving range. Mas se há uma coisa em que a China é muito boa é o rápido desenvolvimento de uma infraestrutura eficiente e eficaz. E não é diferente com EVs. A China já tem 500.000 estações de carregamento de baterias e planeja dobrar esse número até 2020. Hoje, o Japão e a China controlam mais de 95% do mercado de carregadores super-rápidos e em meados de 2018 eles chegaram a um acordo que estabelece um ponto comum padrão para ambos os países. É muito provável que esses carregadores rápidos do Extremo Oriente se tornem o padrão mundial em um futuro não muito distante.

Além de estações de carregamento, os veículos elétricos também precisam de baterias. O país e/ou organização que pode fabricar as baterias de alta qualidade controlará o mercado de EV. O lítio é atualmente um componente básico de 99% de todo o transporte rodoviário movido a eletricidade. Este lítio é extraído principalmente da Austrália e da América do Sul, portanto, não é sem razão que a Tesla investiu pesadamente na produção de baterias na Austrália. 

pt Português
X
Open chat