Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. ©2019 Diário do Rio.

Rebeca Andrade: A força da persistência

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

Nasceu em Guarulhos-SP no dia 8 de maio de 1999, tem sete irmãos e começou a treinar aos quatro anos no Ginásio Bonifácio Cardoso, em um projeto social de iniciação ao esporte da prefeitura de Guarulhos, em São Paulo, onde ficou conhecida como a “Daianinha de Guarulhos” em alusão à Daiane dos Santos.

Em 2012, em seu primeiro campeonato como profissional, Rebeca tornou-se campeã do Troféu Brasil de Ginástica Artística, superando ginastas de renome como Jade Barbosa e Daniele Hypólito, Rebeca tinha só 13 anos.

Estreou nas competições adultas internacionais na Copa do Mundo de Ginástica, em Ljubljana, na Eslovênia, em 2015. Conquistou o bronze nas paralelas assimétricas. Em 2017, na etapa de Koper, também na Eslovênia, Rebeca conquistou sua primeira medalha de ouro nas competições adultas na prova de salto.

Nos Jogos Olímpicos de 2020, Rebeca fez história ao conquistar a primeira medalha da ginástica feminina em Olímpiadas. Na disputa do Individual Geral ficou com a prata. Já na disputa do salto, foi medalhista de ouro, tornando-se a primeira mulher ginasta campeã olímpica do Brasil e a primeira atleta brasileira com duas medalhas em uma mesma Olímpiada.

pt Português
X
Open chat