Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. ©2019 Diário do Rio.

Brasília, do sonho à realidade

Foto: Divulgação
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

A construção de Brasília foi a concretização de um projeto nacional de mais de 200 anos, que não se sabe ao certo o seu idealizador.

Em 1823, logo após a Independência, o ministro e deputado José Bonifácio de Andrada e Silva (SP) propôs à Assembleia Constituinte a interiorização da capital para possibilitar melhor controle sobre o imenso território brasileiro naquele conturbado momento pós-Independência.

No reinado de dom Pedro II, a campanha por uma capital no centro do Império renasceu encabeçada por Francisco Adolfo de Varnhagen, o historiador mais renomado da época, que se dirigiu ao Planalto central por volta de 1877 para procurar a localização mais apropriada, sugerindo se erguesse a cidade de Imperatória (nome em homenagem ao imperador dom Pedro II) entre as lagoas Formosa, Feia e Mestre d’Armas — a grande área dentro da qual hoje se situa Brasília.

Com a derrubada da Monarquia, a transferência da capital ganhou relevância na Assembleia Constituinte de 1891 pela proposta do senador constituinte Virgílio Damásio (BA).

Sem perda de tempo, os dois primeiros presidentes da República, Deodoro da Fonseca e Floriano Peixoto, seguiram a determinação constitucional e tomaram as providências necessárias para a futura mudança. Uma comissão de técnicos denominada Missão Cruls, em 1890, explorou o interior de Goiás e delimitou o quadrilátero do futuro Distrito Federal.

Em 1922, no dia exato do centenário da Independência, a mando do presidente Epitácio Pessoa, foi inaugurado um pequeno obelisco dentro do atual Distrito Federal, em Planaltina-DF.

A ideia da transferência da capital ganhou força total durante a campanha de Juscelino Kubitschek à presidência da república, quando em um comício em Jataí-GO aos 04 de abril de 1955, ao ser indagado pelo Sr. Antônio Soares Neto, o Toniquinho, se o então presidente cumpriria a Constituição e mudaria a capital do Rio de Janeiro para o Planalto Central, JK pensou por um instante e afirmou que construiria a capital dos brasileiros.

A grande obra aconteceu entre 1957 e 1960 e foi viabilizada pelo governo de Juscelino Kubitschek, o qual inaugurou Brasília em 21 de Abril de 1960.

Muitos foram os construtores da capital, com especial destaque ao povo do Quilombo Mesquita que construíram o Catetinho e as primeiras estruturas de apoio para a construção da cidade, alojamentos, refeitórios, além de é claro, disponibilizar alimentos para os trabalhadores que chegavam para a construção da capital.

Os Candangos, homens vindos de todos os cantos do pais, foram os trabalhadores que efetivamente ergueram os grandes monumentos da nova capital sob a batuta dos arquitetos Lucio Costa e Oscar Niemeyer.

Em profecia, Dom Bosco, fundador da Congregação dos Salesianos, teria sonhado que fazia uma viagem à América do Sul e viu um local especial ao chegar à região entre os paralelos 15° e 20°, onde, nas palavras de um anjo que o acompanhava em sua visão, apareceria “a terra prometida” e que seria “uma riqueza inconcebível”, “Entre os graus 15 e 20 havia uma enseada bastante longa e bastante larga, que partia de um ponto onde se formava um lago. Disse, então, uma voz repetidamente: – Quando se vierem a escavar as minas escondidas no meio destes montes, aparecerá aqui a terra prometida, de onde jorrará leite e mel. Será uma riqueza inconcebível”

Hoje, dia 21 de abril de 2022, aos 62 anos de fundação, Brasília possui corpo de metrópole e figura entre as cidades mais importantes do Mundo.

É a capital de todos os brasileiros, com sotaques de norte a sul, e representações diplomáticas da maioria dos países da comunidade internacional.

Sua arquitetura é inconfundível, visível do espaço, e deixa a todos encantados.

Viva Brasília! Viva os Brasileiros! Viva o Brasil!

pt Português
X
Open chat