Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. ©2019 Diário do Rio.

Parque Natural Municipal de Marapendi

Foto: Alexandre Macieira/Riotur
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

Além do contato com a natureza, o parque promove a educação ambiental de jovens e crianças, através de uma biblioteca permanente e de ações especiais.

Com aproximadamente 155 hectares de belas paisagens naturais, o Parque Marapendi resguarda os ecossistemas nativos de restinga e manguezal. O local foi criado em 1978 com o objetivo de se tornar um espaço de recreação e lazer ao ar livre, além de um ambiente de preservação ambiental. O parque se estende pela faixa litorânea da Barra da Tijuca, entre a Avenida Sernambetiba e a Avenida das Américas, desde o alinhamento da Avenida General Felicíssimo Cardoso até a Avenida Pedro Moura.

O parque está localizado na Avenida Alfredo Baltazar da Silveira, no Recreio dos Bandeirantes. E funciona de terça a domingo, das 8h às 17h.

No parque também está o Centro de Referência em Educação Ambiental de Marapendi, criado para a troca de conhecimento por meio de atividades socioambientais. O Centro é subordinado ao Centro de Educação Ambiental da SMAC, fisicamente alocado no PNM de Marapendi. Atua desenvolvendo atividades de educação ambiental com a comunidade da Barra da Tijuca e Recreio dos Bandeirantes no PNM de Marapendi.

O Centro oferece visitas orientadas ao público visitante (escolas, grupos, empresas e outros) através de cursos, oficinas e palestras sobre meio ambiente, ecologia, educação ambiental e sobre o reaproveitamento dos recursos naturais, com foco na reciclagem, além de exposições, palestras.

O centro reúne sala de ciências com informações sobre a fauna e a flora da região e mantém uma extensa programação cultural com exposições, oficinas de artesanato e exibição de filmes.

Em sua estrutura estão incluídas biblioteca, sala de ciência, banheiros, auditório e sala de artes. No interior do PNM de Marapendi também se encontra instalada a Base 2 da Patrulha Ambiental que atua na região, inclusive das unidades de conservação da área. O Parque oferece uma estrutura de estacionamento para visitantes e três trilhas: Borboleta da Praia, Jacupemba e Preguiça.

Em 2019, o Parque Marapendi ganhou da Prefeitura do Rio, uma torre de observação com mais de 13 metros de altura. A torre tem capacidade para receber até 10 pessoas por vez e foi inaugurada com o objetivo de garantir a observação da flora e da fauna local, além de servir como ponto de monitoramento ambiental, de vigilância e pesquisa da biodiversidade.

Entre as espécies encontradas na região, destacam-se árvores centenárias, como jacarandás e pinheiros do Paraná, e animais, como o tucano-de-bico-preto e o bicho-preguiça.

Os destaques ficam por conta das espécies raras e ameaçadas de extinção, como o lagarto-de-cauda-verde (Cnemidophorus ocellifer), de coloração mimética à vegetação; o jacaré-do-papo amarelo (Caimam latirostris) e a borboleta-da-praia (Parides ascanius). Nas trilhas existentes, pode-se observar espécies como jacupemba (Penelope superciliaris), que sobrevive com uma pequena população local e capivaras (Hydrochaerus hidrochaeris). Além desta, vale ressaltar a presença de indivíduos de colhereiro (Platalea ajaja), corujinha-do-mato (Megascops choliba) e araponga (Procnias nudicollis). Os problemas encontrados no PNM de Marapendi são relacionados principalmente às pressões antrópicas: redução dos habitats, poluição na Lagoa e caça, bem como presença de espécies invasoras.

Os visitantes também podem conhecer a Lagoa Marapendi, que é constantemente utilizada para a prática de esportes a vela, como o windsurf, e para outros esportes náuticos, como remo e canoagem. Certamente, é uma das belezas naturais do parque, embora seja imprópria para banho e pesca devido à poluição. No local há um deck onde os visitantes podem tirar fotografias, apreciar os animais e a beleza do local.

As pesquisas em unidades de conservação municipais devem ser devidamente autorizadas pela SMAC conforme Resolução nº 533/2013. As pesquisas devem ser desenvolvidas com a ciência do gestor UC, de forma a trazer, inclusive, contribuições à gestão da UC. No Parque Marapendi são feitas pesquisas na área de botânica e zoologia.

 

pt Português
X
Open chat