Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. ©2019 Diário do Rio.

Unidos de Padre Miguel pode se tornar Patrimônio Imaterial do Rio

Foto: Divulgação
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

O deputado estadual Coronel Jairo (SDD) protocolou um projeto de lei na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) para tornar o Grêmio Recreativo Escola de Samba Unidos de Padre Miguel Patrimônio Cultural e Imaterial do Estado do Rio de Janeiro.

“A Unidos de Padre Miguel representa a tradição do carnaval do Rio de Janeiro. Em seus mais de 60 anos de história, a escola leva cultura e muita diversão ao povo, além de oferecer trabalho e renda a todos os envolvidos na organização dos seus desfiles. Não restam dúvidas de que merece esse reconhecimento público”, ressaltou o deputado.

A Unidos de Padre Miguel desfila nesta quinta-feira, dia 21 de abril, na Marquês de Sapucaí, com o enredo ¨Iroko, É Tempo de Xirê¨, e será a quinta escola da Série Ouro a passar pela Passarela do Samba. Conhecida por seu símbolo, o boi vermelho, a escola de samba foi criada em meados de 1954 como uma das representantes da zona rural do Rio de Janeiro. Tornou-se campeã em seu primeiro desfile na Praça XI, em 1959, e adquiriu o direito de se apresentar entre as grandes escolas em 1960.

As cores vermelha e branca são uma homenagem à fábrica Bangu, do Sr. Guilherme da Silveira Filho (Silveirinha), que doava todo o tecido para o desfile da escola e também ao Bangu Futebol Clube, cujas cores são as mesmas.

pt Português
X
Open chat