Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. ©2019 Diário do Rio.

ONG Escola de Gente: inclusão, amor e combate à discriminação

Foto: Divulgação
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

A Escola de Gente foi criada para formar uma nova geração de adolescentes e jovens mais apta a contribuir para a criação de uma sociedade inclusiva.

De 2002 a 2020, a Escola de Gente mobilizou diretamente para a prática da inclusão, presencialmente e virtualmente, cerca de 1 milhão de pessoas em 19 países. A instituição tem mais de 80 premiações nacionais e internacionais. Como também, foi cinco vezes reconhecida na ONU pela inovação de seus projetos de inclusão e acessibilidade. E recebeu duas das mais importantes condecorações da presidência da República do Brasil: “Prêmio Direitos Humanos” e “Ordem do Mérito Cultural”.

Idealizada pela jornalista e escritora Claudia Werneck, a Escola de Gente tem como missão transformar políticas públicas em políticas públicas inclusivas, para que pessoas com e sem deficiência exerçam seus direitos humanos desde a infância.

O jornal DR1 entrevistou a fundadora da Escola de Gente, Claudia Werneck que contou sobre a idealização da ONG.

“A Escola de Gente nasce como um desdobramento natural de várias ações e investimentos protagonizados por mim e pelo meu marido, Alberto Arguelhes, após o lançamento do meu livro “Muito prazer, eu existo – sobre as pessoas com síndrome de Down”, em 1992”, explicou.

“Assim, logo após o lançamento do livro, e com o apoio incondicional do meu marido, mãe, pai, irmão, filho e filha, toda a família – e quero reforçar que sem este apoio eu não teria conseguido caminhar nos meus sonhos e projetos – comecei a viajar pelo Brasil e pelo mundo atendendo a convites, inicialmente para falar sobre o livro e depois sobre o conceito de inclusão. Foram quase 700 palestras em 10 anos”, contou a fundadora.

A fundadora da Escola de Gente, Claudia Werneck explicou também sobre os objetivos da ONG.

“A ONG existe para transformar políticas públicas em políticas públicas inclusivas, que são aquelas que garantem direitos humanos e fundamentais também a quem nasce com deficiência e vive na pobreza, desde a infância. A juventude é nosso principal agente de transformação. A infância, nosso principal público beneficiário. A comunicação inclusiva, nossa estratégia. Os direitos humanos, nosso território”, afirmou.

A Escola de Gente é um centro de referência na criação e execução de metodologias premiadas, avaliadas e disseminadas pelo Brasil e mundo. A ONG possui alguns projetos, como: JUVA,
leitura acessível e o teatro acessível.

“Ainda que eu seja grata e me emocione com as mensagens e relatos do quanto a Escola de Gente faz a diferença na vida de muitas pessoas, eu me fortaleço também por perceber que meu propósito segue firme, e por ele sou abraçada e encorajada todo dia, ainda que se multipliquem as dificuldades que hoje enfrentamos para manter as leis e as políticas de inclusão no Brasil”, finalizou a jornalista Claudia Werneck.

A Escola de Gente trabalha todo dia para que pessoas com deficiência vivam com direitos, autonomia e independência. E conta com o apoio por meio de doações, parcerias e aquisição de nossos serviços e tecnologias. Quem desejar apoiar financeiramente pode fazê-lo utilizando o seguinte site: https://www.escoladegente.org.br/faca-sua-doacao.

Foto: Divulgação
pt Português
X