Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. ©2019 Diário do Rio.

Retrospectiva do mercado financeiro 2021 e 2022

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

Olá, leitor do Jornal DR1.Como vai?

O ano de 2021 foi intenso, e os primeiros meses de 2022 também se seguiram a todo vapor, não é mesmo?

Assim, é possível tirar muitas lições para 2022, inclusive no campo dos investimentos.

Vamos recapitular os principais acontecimentos de 2021 e dos primeiros meses de 2022 que afetaram o mercado financeiro e descobrir o que eles podem nos ensinar?

Aumento da taxa de juros — a Selic, taxa básica de juros da economia brasileira, iniciou o ano de 2021 em patamares baixos, mas avançou forte no ano passado, alcançando 9,25% em dezembro. Em março de 2022, ela chegou a 11,75%;

Alta da inflação — a alta da inflação revelou uma subida nos preços de itens básicos para os brasileiros em 2021 — e o movimento segue em 2022. O IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), que é a referência utilizada para esse cálculo, fechou o ano passado em uma alta de 10,06%;

PIB baixo — o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro encerrou 2021 em baixa. A previsão do Banco Central, no mês de março, era para uma alta de apenas 1% do PIB em 2022;

recorde de investidores na bolsa de valores — a bolsa de valores brasileira (B3) registrou em outubro de 2021 um recorde de 4 milhões de contas de pessoas físicas investindo em renda variável. Em fevereiro de 2022, esse número superava 5 milhões.

Cenário de instabilidade — o ano de 2021 trouxe inúmeros desafios devido à pandemia de covid-19. E, apesar do maior controle dos riscos da pandemia no mundo, os primeiros meses de 2022 trouxeram novas dificuldades, como a guerra da Ucrânia e instabilidades geopolíticas.

Ufa, foram muitos momentos marcantes, concorda?

A partir desses acontecimentos — que afetaram e seguem influenciando o mercado financeiro —, podemos tirar grandes aprendizados para que os próximos meses de 2022 tragam bons resultados para suas finanças e seus investimentos.

O primeiro deles é a importância de ter uma reserva de emergência. Como vimos, a economia mundial está sempre sujeita a instabilidades, então, se preservar é fundamental!

Também aprendemos a importância da paciência e da resiliência. O mercado tem movimentos de queda e de recuperação, que exigem cautela para tomar boas decisões.

Por fim, é importante considerar os benefícios de investir, mas é fundamental que isso seja feito a partir dos seus objetivos e respeitando seu perfil de investidor.

Para que 2022 e consequentemente 2023 sejam bons para você, vale a pena adotar novas práticas que o levam ao sucesso financeiro, não é mesmo?

Não se esqueça de me seguir no Instagram @janainacalvo, para acompanhar todas minhas dicas e conteúdos sobre finanças e muito mais.

Bjocas Carinhosas!!

Janaina

pt Português
X