Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. ©2019 Diário do Rio.

70% dos bares e restaurantes do Rio tiveram faturamento maior no mês de Abril, em relação ao mesmo período de 2021

Foto: Divulgação
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

Os donos de bares e restaurantes do Rio registraram melhora no faturamento no último mês de Abril, comparado ao mesmo período de 2021. Segundo a mais recente pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Bares e Restaurantes no RJ (Abrasel RJ), 70% dos estabelecimentos faturaram mais no último mês do que em Abril de 2021. No entanto, 39% das empresas registraram prejuízo no mês de Abril 2022, enquanto somente 27% realizaram lucro.

O levantamento aponta também que, após a retomada da crise da Covid-19, a nova preocupação do setor é a alta da inflação. 75% dos bares e restaurantes do estado não conseguiram reajustar os seus preços em linha com a inflação média. Destes, 39% realizaram reajustes abaixo da inflação, enquanto 36% não alteraram seus preços. Nenhum estabelecimento diz ter feito reajuste acima da inflação de abril, que acumulou 11,5% nos últimos 12 meses. Outros 25% dizem ter feito reajuste conforme a inflação.

O índice é ligeiramente inferior à média nacional, que apontou que 78% dos estabelecimentos do país não conseguiram realizar reajustes equivalentes à inflação.

“O aumento no faturamento de 70% dos bares e restaurantes do Rio no último mês de Abril, em relação ao mesmo período em 2021, comprova a força do nosso setor e resiliência de milhares de empresários que conseguiram atravessar a pior crise da nossa história. No entanto, o cenário ainda é muito desafiador, especialmente com a alta da inflação, que pode inviabilizar muitos negócios, já que temos uma dificuldade muito grande de repassar tantos aumentos de preços aos clientes. É fundamental que todas as esferas do poder público trabalhem juntas, para que a inflação não seja responsável pela extinção de postos de trabalho, que foram retomados a duras penas neste pós-pandemia”, – afirma Pedro Hermeto, presidente da Abrasel RJ.

A pesquisa revela ainda que, dos negócios do RJ inscritos no Simples Nacional, 37% têm parcelas em atraso, índice abaixo do registrado em todo o país, que é de 45%. Destes, 62% pretendem aderir ao Programa de Reescalonamento do Pagamento de Débitos no Âmbito do Simples Nacional (Relp). Apenas 14% das empresas estão inscritas no Cadastro de Prestadores de Serviços Turísticos (Cadastur), do Ministério do Turismo. Destas, 40% estão com débitos na dívida ativa, mas apenas 25% delas requisitaram entrada no Programa Emergencial de Retomada do Setor de Eventos (Perse)

A nova rodada da pesquisa da Abrasel RJ apurou ainda que quase um terço das empresas do estado que contraíram empréstimos regulares estão com parcelas em atraso (exceto o Pronampe). No caso das que tomaram o Pronampe, o índice de atraso é de 18%. no total, 65% das empresas disseram ter algum empréstimo contratado.

Os dados referentes ao Rio de Janeiro fazem parte de um levantamento nacional realizado pela Abrasel, entre os dias 04 e 16 de maio, com 1.202 empresas do setor de alimentação fora do lar em todo o Brasil.

pt Português
X