Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. ©2019 Diário do Rio.

Bom de bola e de samba – Leovegildo, o mestre Júnior

Foto: Reprodução/Instagram
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

Leovegildo Lins Gama Júnior, também conhecido como Júnior, Maestro Júnior ou Júnior Capacete é um ex-futebolista e ex-treinador brasileiro que atuava como lateral-esquerdo. Atualmente trabalha como comentarista esportivo na Rede Globo.

Como jogador, era ambidestro e polivalente, bom marcador e grande distribuidor de jogadas, independente da posição. A facilidade para jogar bem com as duas pernas o permitiu atuar como lateral-esquerdo, direito, volante e meio-campista. Jogador de extrema técnica e rara habilidade, ele tinha grande visão de jogo, precisão nos passes, e era ótimo cobrador de faltas e escanteios – tendo feito inclusive alguns gols olímpicos.

Fez fama atuando pelo Clube de Regatas do Flamengo, onde jogou 865 partidas, sendo o jogador que mais vezes vestiu a camisa rubro-negra. Pelas contas do site Fla-Estatística, foram 876  jogos entre 6 de novembro de 1974, quando entrou no lugar de Humberto Monteiro em um amistoso contra o Operário, e 19 de agosto de 1993, quando disputou dois amistosos de 45 minutos cada contra Zaragoza e Internazionale. Júnior participou de 508 vitórias, 212 empates e 156 derrotas, marcando 78 gols. Em 2020, em um ranking elaborado por especialistas dos jornais O Globo e Extra, figurou na 2ª posição entre os maiores ídolos de futebol da história do Clube de Regatas do Flamengo, atrás apenas do Zico.

Em 1981, foi eleito o 3º Maior Futebolista sul-americano do ano e, pela Revista Italiana Guerin Sportivo, o 7º Maior Futebolista do Mundo no ano. Em 2020, foi indicado pela FIFA como um dos elegíveis para o Time dos Sonhos da Bola de Ouro.

Apesar de ter largado os gramados aos 39 anos, Júnior jogou na areia até os 47. Parou em 2001, depois de enfileirar títulos com a seleção nacional e pavimentar a estrada para que o esporte fosse reconhecido no país. Hoje, ainda joga futebol, mas as peladas são cada vez mais raras.

Seus primeiros trabalhos como comentarista foram nos canais SporTV e Premiere, onde trabalhou de 1998 a 2003.

Em 2005, ele assinou contrato com a Rede Record de Televisão em 2005. Ficou um ano na emissora da Barra Funda e depois voltou a comentar pela Rede Globo de Televisão. Desde então ele trabalha para a equipe de esportes da Rede Globo, sendo o comentarista titular dos jogos de times do Rio de Janeiro. Como comentarista dos canais da emissora, participou de todas as Copas do Mundo desde 1998.

Além disso, desde 2012 é membro do Conselho Fiscal da AGAP – Associação de Garantia ao Atleta Profissional do Rio de Janeiro.

Em 1982, Júnior foi intérprete de uma música que tocou no Brasil inteiro: “Voa Canarinho, Voa”, que marcou a campanha da seleção na Espanha. O “Maestro” tem uma forte ligação com o samba e com os grandes intérpretes e compositores. Uma das suas canções prediletas é “Missão”, feita por João Nogueira em homenagem ao filho Diogo.

Além de excelente jogador, Maestro Júnior também é responsável pele evento beneficente “Samba dá Sopa”, o propósito do encontro que acontece há 13 anos é solidário e todo valor arrecadado é revertido a instituições beneficentes e costuma acontecer no Renascença Clube, em Andaraí.

O pagode que sempre está ao comando do mesmo, sempre contagia quem se compromete a abraçar a causa com um repertório de samba variados e alegres onde, nos encontros, todos cantam juntos.

pt Português
X