Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. ©2019 Diário do Rio.

Catetinho – Primeira sede oficial e presidencial de Brasília

Foto: Divulgação
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

Depois da posse de Juscelino Kubitschek como presidente da República, o Senado Federal aprovou em setembro de 1956 a proposta sugerida por JK de mudança da capital para o interior do Brasil. Ato que deu início a um capítulo importante da nossa história escrita no Planalto Central.

Sem antes mesmo da nova capital ganhar forma, o presidente se instalou provisoriamente, na casa sede da Fazenda do Gama /DF. Até que   um grupo de amigos de JK, entre eles Oscar Niemeyer, reunidos, às escondidas no Rio de Janeiro tiveram a ideia da construção de uma residência provisória que fosse apropriada ao presidente para reuniões em suas visitas ao planalto central.

A construção da nova sede presidencial levou apenas 10 dias para ser construída e teve o renomado arquiteto Oscar Niemeyer como autor do primeiro projeto de arquitetura para Brasília. A única edificação feita em madeiras pelo consagrado arquiteto, um espaço simples e funcional. As madeiras e o restante dos materiais escolhidos vieram de Minas Gerais e do Rio de Janeiro. Apesar de ter sido construído em madeiras, não poderia ser considerado um barracão, pois tinha uma arquitetura muito especial que abrigava ideias modernistas, um núcleo de apoio de radiofonia, de radiotelegrafia e um campo de pouso. Uma arquitetura peculiar que reproduziu, em madeira, muitas ideias que mais tarde Oscar Niemeyer concretizou no plano piloto. Ele fez os pilotis num palácio de madeira.

O Museu do Catetinho ou “Palácio de Tábuas, como também é conhecido, foi erguido em um espaço singular, rodeado por uma área de preservação ambiental do cerrado. Seu nome foi dado pelo violinista e seresteiro Dilermando Reis em referência ao Palácio do Catete do Rio de Janeiro, então, sede do governo federal, na época. Foi inaugurado em 10 de novembro de 1956 e serviu como sede oficial do presidente JK até 1959. Um local que servia como residência provisória, como sede para reuniões e de ponto de apoio para os pioneiros que trabalharam na nova capital federal, inaugurada em abril de 1960.

O Catetinho além de servir aos assuntos políticos e oficiais do presidente foi, também, testemunho de muitas serestas e curiosidades.  JK recebeu autoridades internacionais dentre as quais a Rainha Elizabeth II, da Inglaterra e de figuras nacionais como o engenheiro responsável pela construção de Brasília Bernardo Sayão e de artistas e músicos ilustres, tais como Vinícius de Moraes e Tom Jobim, convidados pelo JK para comporem o hino de exaltação à capital que nascia. E foi às margens da fonte que se encontra ao redor do museu que os músicos Tom e Vinícius encontraram inspiração para compor “É água de Beber Camará” (expressão popular da época que se referia a camarada). É água pura? Pode beber camará?

O Museu do Catetinho é um espaço que guarda um pedaço precioso da nossa história. Uma exposição que trás referências da época, através da preservação do mobiliário original e de vários outros objetos. O Museu está localizado na cidade de Gama-DF, às margens da BR-040, principal rodovia de Brasília. É aberto para visitação pública de terça a domingo, das 9:00 às 17:00 com entrada franca.

pt Português
X