Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. ©2019 Diário do Rio.

José Paulo Cavalcanti Filho toma posse na Academia Brasileira de Letras

Foto: ABL/ Dani Paiva
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

O jurista e escritor pernambucano José Paulo Cavalcanti Filho é o mais novo imortal da Academia Brasileira de Letras (ABL). Ele tomou posse na noite desta sexta, 10 de junho, quando passou a ocupar a Cadeira 39 da Academia, sucedendo ao ex-vice-presidente do Brasil, o advogado e professor Marco Maciel.

“Espero contribuir para os dois objetivos mais amplos da academia, que estão nos estatutos redigidos por Machado de Assis. Primeiro, que é a defesa da língua nacional e da cultura. “A língua portuguesa, sabemos todos, é “a última flor do lácio, inculta e bela… esplendor e sepultura (Bilac, Língua Portuguesa). Ainda mais, “semente, coração, berço e caixão” (Nêumanne, A seara de Saramago). E defender essa “língua” não é só exaltar o seu caráter de realidade virtual, conjunto de símbolos articulados para produzir uma ideia. É ir além. É compreender novas formas de expressão em permanente processo de mudança. É compreender a própria linguagem como fator de unidade nacional e assumir o dever de uma integração permanente entre os tantos brasis. É compreender o desencontro entre o vocabulário mais amplo de uma língua oficial e as naturais limitações impostas, pelas circunstâncias, aos indeterminados cidadãos comuns – a “língua errada, língua certa do povo”, no dizer do pernambucano Manuel Bandeira (Evocação do Recife) – e não se conformar com isso. É finalmente compreender que nada pode ser mais urgente, revolucionário, transformador e democrático, no Brasil de hoje, que a educação popular. Como disse Marco Maciel, “A educação é o mais eficaz instrumento para o resgate da cidadania. É o caminho por onde chega à consciência dos direitos e deveres das pessoas” (Educação e liberalismo). Tudo sugerindo o papel enorme e urgente, desta Academia, que é também o de perseverar no esforço coletivo e continuo de produzir cidadãos”, declarou o Acadêmico em seu discurso de posse.

A Academia Brasileira de Letras elegeu, no dia 25 de novembro de 2021, o novo ocupante da Cadeira 39 de seu Quadro de Membros Efetivos, vaga com o falecimento do Acadêmico, advogado e professor Marco Maciel, em 12 de junho de 2021. Participaram da eleição 34 Acadêmicos de forma presencial ou virtual (um não votou por motivo de saúde). Os ocupantes anteriores da Cadeira 39 foram: Oliveira Lima (fundador) — que escolheu como patrono Francisco Adolfo de Varnhagen –, Alberto de Faria, Rocha Pombo, Rodolfo Garcia, Elmano Cardim, Otto Lara Resende e Roberto Marinho.

“O José Paulo é um grande jurista, conhecedor da arte nordestina e vai nos ajudar muito na ampliação da representatividade regional da Academia Brasileira de Letras que é um dos nossos grandes objetivos”, declarou o Presidente da ABL, Merval Pereira.

Advogado, romancista e pesquisador, José Paulo Cavalcanti Filho possui mais de 18 títulos escritos, alguns publicados no exterior. Também é considerado um conhecedor profundo da obra do escritor português Fernando Pessoa.

José Paulo Cavalcanti Filho nasceu no Recife no dia 21 de maio de 1948. É advogado formado pela Faculdade de Direito do Recife (1971). Foi secretário-geral do Ministério da Justiça e ministro interino da Justiça no governo do ex-presidente José Sarney e também presidente do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE), da EBN (depois Empresa Brasil de Comunicação- EBC), e do Conselho de Comunicação Social (órgão do Congresso Nacional). Consultor da Unesco e do Banco Mundial, ocupa atualmente a cadeira 27 da Academia Pernambucana de Letras.

Como romancista, possui mais de 18 títulos escritos, alguns publicados no exterior. Também é um conhecedor profundo da obra do escritor português Fernando Pessoa. Em 2012, conquistou o prêmio José Ermírio de Moraes, pelo livro Fernando Pessoa — uma quase autobiografia. Também conquistou o primeiro lugar na Bienal do Livro e no Prêmio Jabuti. É vencedor do Prêmio II Molinello, na Itália. Recebeu, ainda, premiações em países como Romênia, Israel, Espanha, França, Holanda, Alemanha, Rússia, Inglaterra e Estados Unidos.

É também membro da Ordem dos Advogados do Brasil, Diretor do Escritório de Advocacia José Paulo Cavalcanti, do Instituto dos Advogados de Pernambuco, e do Instituto dos Advogados Brasileiros.

pt Português
X