Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. ©2019 Diário do Rio.

Vasco da Gama cria Manual de Conduta e Ética do Torcedor em comemoração ao mês do orgulho LGBTQIAP+

Foto: Daniel Ramalho
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

No mês do orgulho LGBTQIAP+, o time Vasco da Gama criou o Manual de Conduta e Ética do Torcedor, com o objetivo adotar práticas contra a violência, assédio e discriminação nos estádios, incluindo evitar gritos preconceituosos nas arquibancadas.

O Manual, assinado pelas torcidas organizadas do time, determina o repúdio a qualquer manifestação discriminatória, incluindo a demonstração de preconceito de gênero e de orientação sexual.

Durante a partida contra o Operário-PR, realizada na última sexta-feira (24), seis super bandeiras do Vasco com o arco-íris foram levantadas nas arquibancadas. A ação mostrou ao Brasil e ao mundo que não há espaço para qualquer tipo de preconceito ou intolerância.

O Dia do Orgulho LGBT foi criado e é celebrado em 28 de junho em homenagem a um dos episódios mais marcantes na luta da comunidade gay pelos seus direitos: a Rebelião de Stonewall Inn. A data marcou a revolta da comunidade LBGT contra uma série de invasões da polícia de Nova York aos bares que eram frequentados por homossexuais, que eram presos e sofriam represálias por parte das autoridades. A partir deste acontecimento foram organizados vários protestos em favor dos direitos dos homossexuais por várias cidades norte-americanas.

O Jornal DR1 entrevistou uma das responsáveis da Vasco LGBT, Beatriz Abreu, que contou sobre a importância da ação.

“O Vasco mais uma vez mostrou que o pioneirismo é parte de seu DNA e nós da Vasco LGBT, tivemos a chance de fazer história ao lado do nosso maior amor! O Vasco junto com o nosso coletivo e as organizadas do clube, propôs a assinatura do manual que a manutenção do respeito, da igualdade e da inclusão de todo e qualquer torcedor que frequente nossa casa”, afirmou Beatriz Abreu.

“Convidamos outras instituições e torcidas para unir forças e vozes
a fim de tornar os estádios, e arquibancadas do mundo a fora mais democráticas para todos os torcedores. O Vasco iniciou esse processo, mas desejamos que esse exemplo se espalhe rapidamente por todos os lugares”, concluiu Beatriz Abreu.

Em 2021, o Vasco montou um mosaico em São Januário, realizando um manifesto contra homofobia e transfobia.

pt Português
X