Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. ©2019 Diário do Rio.

Cuidados com a sobrecarga de chuveiros elétricos devem aumentar durante o frio

Foto: Divulgação
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

Com a queda de temperatura, os banhos quentes se tornaram a única opção para manter a higiene pessoal de forma confortável, para muitas pessoas. Com a queda nos termômetros no estado do Rio de Janeiro, é comum exagerar na potência de chuveiros elétricos para manter o bem-estar. Segundo dados do Ministério das Minas e Energia, 73% dos lares brasileiros ainda adotam a alternativa elétrica para o aquecimento, em sistemas a gás ou solar, e especialistas recomendam cuidados para evitar problemas com o aparelho, que pode ser sobrecarregado e, em casos extremos, até provocar choques.
De acordo com o professor do curso de Engenharia Elétrica da Faculdade Anhanguera, Professor Sérgio Dias, os erros mais comuns em relação ao chuveiro estão relacionados ao aterramento da instalação, popularmente conhecida como ‘fio terra’, e à conexão dos terminais feita de modo inadequado. “Esse item é necessário por motivos de segurança, pois desvia a corrente elétrica pra terra e tem como função principal a proteção das pessoas, além de evitar o aquecimento do chuveiro, prolongando a vida útil do equipamento”, afirma o docente.
O professor explica que o calor gerado pela resistência do aparelho é transferido para a água do encanamento sem que a eletricidade vá para o líquido ou para o corpo humano, que têm menor oposição à passagem de corrente. “Algumas informações devem ser observadas no momento da compra do aparelho. Chuveiros com menor potência costuma ser mais barato e econômico em relação ao consumo de energia. Em contrapartida, eles queimam com mais facilidade”, pontua.
“O fio terra vem de fábrica no chuveiro e é padronizado na cor verde e amarela. É importante providenciar o aterramento da maneira correta e evitar riscos de choque elétrico”, afirma o engenheiro. Ligar os aquecedores diretamente em tomadas, que não conseguem suportar a alta corrente, é uma prática proibida pela Norma Técnica Brasileira (NBR) 5410, que determina as condições necessárias para instalações elétricas de baixa tensão.

O engenheiro indica que alguns cuidados domésticos podem evitar acidentes. Segundo ele, é recomendado utilizar tapetes de borracha ou chinelos no chuveiro para que não haja contato direto com o chão. As trocas de chaves de temperatura também só devem ser realizadas quando o aparelho estiver desligado e o tempo do banho quente também deve ser controlado.

A manutenção periódica também é necessária para o bom funcionamento. Os orifícios do aparelho devem ser limpos de forma recorrente para que a pressão da água não danifique fisicamente o chuveiro. Para esse processo, é importante que o morador da residência desligue o disjuntor ou a chave geral de energia.

O Professor Sergio Dias alerta que, uma vez queimada, a resistência jamais deve ser reaproveitada. “O choque elétrico pode até matar, por isso, a troca deve ser efetuada por um eletricista, para evitar remendos e adaptações que podem acarretar, inclusive o aumento no custo da conta de energia elétrica”, finaliza.

pt Português
X