Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. ©2019 Diário do Rio.

Palácio do Catete/Museu da República

Palacio do Catete - Museu da Republica
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

O Palácio do Catete foi construído pelo português Antônio Clemente Pinto, o Barão de Nova Friburgo, teve a construção iniciada em 1858 e terminou oficialmente em 1866, após a morte do Barão (1869) e da Baronesa (1870), o Palácio foi ocupado por um dos filhos do casal, que vendeu o imóvel para um grupo de investidores da Companhia Grande Hotel Internacional. Após a Proclamação da República, a companhia faliu e em 1895 à Fazenda Federal incorporou o local ao patrimônio da União.

Em 1896 o vice-presidente Manuel Vitorino requisitou o Palácio para que nele se instalasse a sede da Presidência da Republica. O Palácio foi reformado e inaugurado oficialmente como sede da Presidência da República em 24 de fevereiro de 1897, no sexto aniversário da primeira Constituição republicana.

A transformação do Palácio do Catete em Museu da República aconteceu quando a capital federal saiu do Rio de Janeiro e foi para Brasília. Último presidente a ocupar o palácio, Juscelino Kubitschek foi convencido da necessidade de integrá-lo ao patrimônio histórico nacional, reconhecendo sua importância na vida política e social do país.

Assim, por meio do Decreto nº 47.883, de 8 de março de 1960, o Palácio do Catete se tornou sede da Divisão de História da República (DHR), novo órgão da estrutura do Museu Histórico Nacional, que seria responsável pela sua gestão.

De acordo com o decreto, a DHR seria responsável por “receber, classificar, catalogar, pesquisar, expor e conservar objetos adquiridos, doados ou transferidos, ligados, direta ou indiretamente, à História da República Brasileira”.

A adaptação do palácio para sua nova função coube à equipe do Museu Histórico Nacional, então dirigido pelo jornalista e escritor Josué Montello. A maior parte do acervo da nova instituição também veio transferida daquele museu. O Museu da República foi fundado em 1960, no dia 15 de novembro. Com o museu em funcionamento, o jardim do palácio também passou a ser aberto ao público.

Em julho de 1983, o Museu da República separou-se administrativamente do Museu Histórico Nacional, passando a ser uma estrutura de gestão autônoma. Entre 1984 e 1989 o Museu da República esteve fechado para realização de obras de restauração dos elementos decorativos e arquitetônicos do Palácio e dos edifícios anexos. A reabertura ao público aconteceu em 15 de novembro de 1989, ocasião do centenário da proclamação da República no Brasil.

O Palácio é um exemplar da arquitetura neoclássica brasileira do final do século XIX. A missão do Museu da República é preservar, investigar e comunicar os objetos e documentos que testemunham a memória e a história da forma de governo republicana no Brasil. Integra a estrutura do Instituto Brasileiro de Museus vinculada à Secretaria Especial de Cultura do Ministério do Turismo.

Onde fica?

Rua do Catete 153, Catete – Rio de Janeiro, RJ

CEP: 22220-000

TEL: (21) 3470-7692

Horário de funcionamento

O jardim do Museu da República está aberto diariamente de 8 às 18h. Acesso apenas pela Rua do Catete – entrada gratuita.

O Palácio do Catete abre de terça a sexta, de 10 às 17h. Aos sábados, domingos e feriados, 11h às 17h. Até dezembro de 2022, a entrada é gratuida.

Autorização para Fotos e Filmagens

Autorização para Fotos, Gravações e Filmagens, entre em contato pelo e-mail mr.comunicacao@museus.gov.br

Como chegar

Metrô: Estação Catete

Ônibus:

Da Zona Norte: linhas 119, 136, 154, 158, 172, 179,

409, 410, 422, 433, 434, 438, 497, 498, 572

Da Zona Sul: linhas 107, 119, 136, 154, 170, 178, 180, 184, 401, 409,

410, 422, 433, 434, 438, 497, 498, 571

De Niterói: 740D – Charitas-Ipanema

pt Português
X