Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. ©2019 Diário do Rio.

Prefeitura do Rio entrega cartões Prato Feito Carioca a trabalhadores informais de Ramos

Foto: Divulgação
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

Programa inédito, que garante uma refeição por dia aos beneficiários, vai disponibilizar cinco mil cartões para cadastrados de toda a cidade até o fim de julho.

A Prefeitura do Rio, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social (SMAS), entregou na última sexta-feira (15) mais 709 cartões do programa Prato Feito Carioca, na quadra da Imperatriz Leopoldinense, em Ramos. Beneficiários do programa das regiões de Madureira e Pavuna já haviam recebido outros 978 cartões magnéticos. Até o fim de julho, um total de cinco mil cartões chegará às mãos de trabalhadores de toda a cidade.

Os beneficiários são trabalhadores informais inscritos no CadÚnico (cadastro de programas sociais federais), com renda mensal per capita entre R$ 105,01 e R$ 210. Na próxima semana, mais 1.448 cartões Prato Feito Carioca serão disponibilizados em Vila Isabel, Jacarezinho e Jacarepaguá. O cartão magnético integra o programa Prato Feito Carioca, política pública inovadora no Brasil e criada pela Prefeitura do Rio para reduzir os efeitos da pandemia e da crise econômica sobre a população carioca.

– Esse é um vale refeição para os trabalhadores informais que são acompanhados pelos CRAS (Centro de Referência de Assistência Social). São as pessoas que têm maior vulnerabilidade na cidade do Rio de Janeiro, trabalham, mas não têm carteira assinada. Vários bares e restaurantes próximos de onde trabalham estão aderindo à bandeira do cartão Prato Feito Carioca para entregar as refeições gratuitas. Mas se o restaurante mais perto do trabalhador não estiver disponível, ele pode falar com sua assistente social para a prefeitura cadastrar junto – explicou a secretária municipal de Assistência Social, Maria Domingas Pucú.

Quem primeiro recebeu o seu cartão magnético Prato Feito Carioca, foi Lucimar de Almeida, 61 anos, moradora de Vigário Geral que é atendida pelo CRAS Nelza Felipe Pereira. Ela tem dois filhos e a família não tem renda fixa. Lucimar vende salgados, doces e bebidas nas ruas de seu bairro. Há dois anos perdeu o emprego com carteira assinada como auxiliar de serviços gerais.

– Vai ajudar bastante o cartão porque é um complemento. Pelo fato de só fazer bicos, as coisas ficam muito difíceis – disse ela.

Refeição em bar ou restaurante conveniado

O Cartão Prato Feito Carioca assegura ao beneficiário uma refeição por dia em qualquer bar ou restaurante conveniado, mesmo longe de sua casa. A ideia é que seja garantida alimentação próximo ao seu local de trabalho, sem encargos para o usuário. O custo de cada refeição será subsidiado pela prefeitura e o beneficiário poderá se alimentar no estabelecimento ou, se preferir, levar a quentinha para consumo em outro local.

As inscrições para o cartão magnético Prato Feito Carioca foram realizadas em abril em plataforma digital. A seleção dos beneficiários foi feita por ordem de inscrição, e a lista foi publicada no Diário Oficial.

Alimentação balanceada em política pública inovadora

O programa Prato Feito Carioca também está implantando as Cozinhas Comunitárias Cariocas. Onze delas já estão funcionando e mais quarto serão inauguradas até o fim de julho. O programa é voltado para famílias vulneráveis com renda mensal per capita de até R$ 105, inscritas no CadÚnico. Cada cozinha disponibiliza 5,6 mil refeições por mês na própria comunidade onde vive o beneficiário.

A alimentação oferecida tanto na Cozinha Comunitária Carioca quanto no Cartão Prato Feito Carioca é balanceada, de acordo com orientações da equipe de nutricionistas da SMAS. A equipe técnica orienta e supervisiona constantemente a qualidade das refeições servidas.

pt Português
X