Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. ©2019 Diário do Rio.

Primeiro Ecomuseu Comunitário do Brasil vira ponto turístico

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

Assinado no último dia 12 de julho, pelo Prefeito Eduardo Paes, a lei municipal nº 7.459/2022, de autoria do vereador Carlo Caiado, torna o Núcleo de Orientação e Pesquisa Histórica (NOPH), do bairro de Santa Cruz, na Zona Oeste da cidade, fundado em 1983 por moradores locais para pesquisa e preservação dos patrimônios culturais santacruzenses, o mais novo ponto turístico da Cidade Maravilhosa.

Reconhecido como o primeiro ecomuseu comunitário do Brasil durante a conferência da ECO-92 (a conferência geral da Organização das Nações Unidas para o clima), reforça o protagonismo dos moradores do bairro de Santa Cruz e passa a ganhar mais um reconhecimento dessa importante ação de preservação da História do Brasil.

“Superar os estigmas socioespaciais, visando à qualidade de vida (e com o firme propósito de fortalecer o espírito da cidadania) é uma das funções do estudo da história do bairro, que recebeu mais um reforço e reconhecimento dessa luta com a aprovação da lei 7.459/22, de autoria do vereador Carlo Caiado”, ressalta Bruno Almeida – Coordenador-Geral do NOPH

Ocupando desde o ano 2000 parte do Palacete Princesa Isabel , onde funciona o Centro Cultural Municipal Dr. Antônio Nicolau Jorge, o NOPH, que possui mais de 5 mil itens em seu centro de documentação, abre caminho para a internação maior da história local com a atividade turística , na promoção da valorização desse importante e histórico bairro do subúrbio carioca e no aumento real da possibilidade do turismo cultural para a região.

pt Português
X