Categorias
Notícias do Jornal Saúde

Faça essa conta!

Não podemos nos conformar com esse cálculo: 70% da população irão se infectar e 4% desse grupo irão morrer

Por Patrícia Gurgel, médica

Somado a isso, temos o fato que faltam leitos hospitalares, equipamentos de proteção individual para a área de saúde e respiradores. Ou seja, essa previsão de mortalidade pode estar subestimada. E também já percebemos que os casos graves não estão se restringindo ao grupo de risco.

Medidas preventivas podem e devem ser fundamentais em uma pandemia. Diminuir o número e a velocidade de infectados pode ajudar tanto, ou até mais, que as medidas de ponta ─ medicações, respiradores, leitos, etc.. No meu ponto de vista, prevenir é muito mais fácil e viável do que tratar, mas para isso precisamos da colaboração de cada um.

Enquanto não chegam as vacinas para essa prevenção, o que podemos fazer é: respeitar o isolamento social, até que pelo menos tenhamos as condições mínimas para atender os infectados; manter as mãos limpas; respeitar a distância de dois metros sempre que possível; e o uso de máscara e outras proteções faciais quando for necessário sair de casa.

Alguns países adotaram como obrigatório o uso de máscaras em locais públicos ou aglomerados, e acredito que isso tenha feito grande diferença no combate a infecção. Torço para que adotem medidas assim no Brasil. Mas, como não acredito que ocorram, precisamos urgente da conscientização da população. Para que o uso de máscaras funcione efetivamente, a maioria terá que usar, pois sabemos que elas funcionam muito bem como barreira, ou seja, impedindo a transmissão.

Note que o uso de máscara é melhor para prevenir a transmissão do que para a proteção. Porém, mesmo que só a pessoa que quer se prevenir a use, será melhor do que nada. O ideal é que todos no ambiente usem, porque assim um estará protegendo o outro e, juntos, estaremos diminuindo o número de casos novos e participando efetivamente para tentar diminuir o colapso do sistema de saúde. Se a pessoa decidir não se proteger ou ajudar na diminuição da propagação da infecção, que pelo menos tenha a consciência que ao chegar perto de alguém do grupo de risco ela deva estar usando alguma máscara e/ou outra proteção de barreira.

Mas, atenção grupo de risco ou pessoas que realmente não queiram se infectar: não poderemos contar que todos tenham essa consideração. Então caberá a vocês tentar a melhor prevenção possível.

Qual a melhor prevenção possível? 

Uso de máscaras caseiras de tecidos, junto com alguma proteção adicional  de face ─ pode ser acetato, PVC, pet.

Molde para máscara, pode ser feito com elásticos (cerca de 13 cm a alça) ou tiras.
Gosto particularmente desse molde, porque ele veda melhor, e o tecido fica um pouco mais afastado das narinas e boca.

As máscaras de tecido devem ser duplas ou triplas. Já que não poderemos garantir a filtração do vírus por esse ser muito pequeno, temos que garantir que o tecido funcione melhor possível contra as gotículas e aerossol. Para isso, ele deve ser o mais repelente a água possível, mas que ao mesmo tempo seja razoavelmente confortável. Terão que cobrir totalmente nariz e a boca e podem ser feitas com tiras ou elástico laterais. E atenção: elásticos apertados são muito incômodos.

Quanto à vedação, podem ser adicionados arames na parte superior, mas eu aconselho o uso de esparadrapos (micropore), que serão colocados na porção superior da máscara e nariz. Esse esparadrapo garantirá uma boa vedação, melhor fixação da máscara e não deixará seus óculos ou proteções de face embaçar.

Colocação de micropore, esparadrapo. Melhora a vedação da máscara, mantém ela no lugar correto e previne embasamento dos óculos/proteção facial

Eu particularmente prefiro as máscaras com uma costura interna na frente, pois isso garantirá que o tecido fique um pouco distante das narinas e da boca. Assim, se gotículas chegarem à sua máscara, mesmo que o vírus consiga passar pelo tecido ele estará um pouco distante das áreas de risco.

As máscaras deveram ser trocadas sempre que úmidas. Tenha sempre com você máscaras adicionais, cada uma guardada em um saco. Tenha também um saco para guardar as máscaras sujas. As máscaras de tecido podem ser deixadas de molho com água sanitária ou água e sabão por uma hora e depois lavadas com água e sabão e, dependendo do tecido, podem ser passadas a ferro posteriormente. O ideal é que cada pessoa tenha pelo menos seis máscaras, para poder levar adicionais limpas e trocá-las durante o dia.

Os tecidos recomendadas pelo Ministério da Saúde foram tricoline ou algodão, mas você pode testar outros tecidos que tenha em casa com desodorante em aerossol ─ o que menos deixar passar o aerossol fazendo com que esse volte para trás será o melhor, ou com sprays com gotas grandes, ou jogando água observando o que consegue segurar mais. Depois disso é necessário verificar se ele é um tecido confortável para colocar direto na face. Testei lycras duplas e tecidos mais encorpados, como neoprene e jeans, e achei eles mais resistentes à água. Ou seja, teste o tecido, depois teste na face. Consegue respirar? Consegue ficar um período sem mexer na máscara? Algumas pessoas adicionam filtro de papel ou um absorvente. Se você ficar confortável com isso, e não for um motivo de você manipular mais a sua máscara, pode ser uma opção.

Outras proteções de face 

Mesmo que sua máscara seja relativamente impermeável aos aerossóis e gotículas,  não poderemos garantir que ela tenha uma trama adequada para garantir a filtração do vírus. E também não podemos garantir uma vedação adequada na face. Se quiser melhorar sua proteção, poderá adicionar uma proteção de barreira que cobrirá a frente e lateral do seu rosto. Com isso, além de proteger a sua máscara, também protegerá os seus olhos. Essas proteções são parecidas com aquelas que os profissionais de saúde utilizam. Você também pode e deve usar para se proteger melhor.

Podemos encontrar na internet produtos já prontos procurando por máscaras faciais ou face shield, chapéu com proteção facial de plástico removível, etc. Mas também é muito fácil fazer a sua proteção com garrafa pet ou folha de transparência, acetato e PVC cristal. Essas serão presas na testa com elástico, tiara de cabelo ou mesmo um lenço.

O ideal é que se use a máscara por baixo para uma melhor vedação e a proteção de face por cima. Você pode sair de casa já com a sua máscara e levar a proteção adicional para usar apenas nos locais aglomerados onde a distância mínima de dois metros não pode ser garantida. As proteções também deverão ser higienizadas após cada uso.

Antes de manusear a máscara ou as outras proteções, tenha certeza de estar com as mãos limpas. Evite manipular a sua máscara e, se for muito necessário, não faça isso pela frente, porque é a área potencialmente contaminada.

Ao colocar e tirar segure pelo elástico ou tiras e só depois de colocadas ajuste no nariz, pegando apenas na borda superior, com a certeza de estar com as mãos limpas. Se você comprou a sua máscara de alguém, fique atenta de lavar antes de usar a primeira vez.

Treine em casa. No começo parece bem difícil e desconfortável, mas isso melhora muito com a prática. Quanto à sensação de abafamento, lembre-se que ela poderá estar prevenindo a você ou a um familiar de sensações piores de falta de ar causadas pelo vírus.

Vale a pena o sacrifício!  Crianças com menos de dois anos não deverão usar máscaras e as maiores apenas com a supervisão de um adulto.

Você também pode ajudar muito a prevenção divulgando essa ideia e até fornecendo essas proteções para alguns amigos e grupo de risco. Lembrem-se: eu te protejo, você me protege e juntos estaremos colaborando para combater essa pandemia. Disque denúncia aglomeração: 1746.

Categorias
Ana Cristina Campelo | Seus Direitos

Direito à saúde x direito à liberdade

Liberdade é o estado no qual se supõe estar livre de limitações ou coação, sempre que se trata de agir de maneira lícita, de acordo com os princípios éticos e legais cristalizados dentro da sociedade. O ser humano é eminentemente social e, vivendo desta forma, suas atitudes interferem na vida de outros homens. Para que esta interferência tenha um caráter construtivo, se faz necessário criar regras que preserve a paz dentro da sociedade. Neste contexto, algumas normas de comportamento foram se formando ao longo do tempo, tornando-se hoje um grupo de regras as quais estamos acostumados a vivenciá-las sem se aperceber.

“Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e direitos e, dotados que são de razão e consciência, devem comportar-se fraternalmente uns com os outros“. Com base nessa afirmação, constante da Declaração Universal dos Direitos Humanos, em seu artigo 1º relativo aos direitos humanos e voltado à liberdade, se coloca nesse contexto a liberdade civil, a liberdade de consciência, a liberdade de ensino, a liberdade de imprensa, a liberdade de pensamento, a liberdade de religião, a liberdade de reunião, a liberdade individual.

Liberdade é um estado que confere plenos poderes ao ser humano e pode ser usado de várias formas, por si só, com limites e regras que tornam essa convivência entre os homens harmoniosa, gratificante e produtiva. Partindo deste princípio básico que todos os homens nascem livres e iguais perante a lei, em direitos e oportunidades, pode se dizer que usar o direito à liberdade para o lado positivo ou negativo depende única e exclusivamente do próprio ser humano.

O direito à saúde está assegurado na Constituição Federal do Brasil como um direito de todos e, em seu art. 196, dispõe que “a saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário e as ações e serviços para promoção, proteção e recuperação“. Assim, para a nossa Pátria a saúde passa a ser um direito público, um bem jurídico constitucionalmente tutelado, e ao poder público é incumbido formular e implementar políticas sociais e econômicas que visem a garantir a todos os cidadãos o acesso universal igualitário e assistência médico-hospitalar. É um direito que não pode e não deve ser convertido em promessa e, quando descumprido, implica em ferir de morte os direitos do indivíduo.

Os direitos sociais são prestações positivas estatais que possibilita melhores condições de vidas aos mais fracos, direitos que tendem a realizar a igualização de situações sociais desiguais. São, portanto, os direitos sociais o que conecta o direito à igualdade com outro princípio de nossa Constituição: “todos são iguais perante a lei“.

A realização do direito à saúde depende de medidas positivas do Estado para que esse direito se concretize. O Sistema Único de Saúde (SUS) foi criado, na teoria, com objetivo de atender as necessidades locais da população e de cuidar de questões que influenciam na verificação da saúde, como meio ambiente, vigilância sanitária, fiscalização de alimentos, dentre outros.

Um pensamento antigo conceitua a saúde como sendo a ausência de doenças, que chega junto com a erradicação da pobreza, com melhores condições de vida, com saneamento básico, como escolas de qualidade, com o exemplo que pai e mãe deve dar a filhos dentro de sua própria casa.

E o direito à saúde, observado como um direito individual, privilegia diretamente a liberdade em sua mais ampla acepção. As pessoas devem ser livres, observando os preceitos legais, para escolher o tipo de relacionamento que terão com o meio ambiente, com a cidade que vive, com o tipo de vida que pretendem ter, com as suas condições de trabalho e, quando doentes, com os recursos médico-sanitário que procuraram, o tipo de tratamento ao qual se submeterão, tudo diretamente ligado ao direito da liberdade de escolha.

Assim fica claro perceber que, ao efetivar a liberdade necessária, o direito à saúde depende do grau de desenvolvimento do país. Em um país desenvolvido sócio-econômico e culturalmente, o indivíduo será livre para procurar um completo bem-estar físico, mental e social e, adoecendo, participar do estabelecimento do tratamento. O direito à saúde privilegia a igualdade e as limitações aos comportamentos humanos são postas exatamente para que todos possam usufruir igualmente as vantagens da vida em sociedade.

Assim, para preservar a saúde de todos, é necessário que não se possa impedir de procurar o seu bem-estar ou induzir-lo adoecer. Essa é, inclusive, a razão pela qual as leis obrigam a vacinação, a notificação, ao tratamento e mesmo ao isolamento em certas doenças, a destruição de alimento deteriorados, ao controle do meio ambiente e das condições de trabalho.

Também se trata de responder a exigência de igualdade, a garantia de oferta de cuidados de saúde no mesmo nível a todos que deles necessitam. Vale o quê? A saúde? A liberdade?

Fique de olho!

Categorias
Carlos Augusto | Opinião

O Covid-19, a Medida Provisória 936 e o movimento sindical

A MP 936 permitirá várias mudanças nas relações entre trabalhadores e patrões. A MP faz parte das iniciativas do governo federal para enfrentar a crise provocada pela pandemia de coronavírus. O custo previsto da medida é de R$ 51 bilhões e, segundo o governo, o programa atenderá a 24,5 milhões de trabalhadores. Sem a medida, o governo projetou a demissão de 12 milhões de pessoas. Com a MP, essa projeção cairá para 3,2 milhões de trabalhadores.

A MP prevê uma redução da jornada de trabalho de 25%, 50% ou de 70% e vigorará por 90 dias, conforme anuncio do secretário especial de Previdência do Ministério da Economia, Bruno Bianco. A medida também permitirá a suspensão total do contrato de trabalho por dois meses com o pagamento integral pelo governo do seguro-desemprego.

A MP prevê que o emprego do trabalhador que tiver a jornada reduzida deve ser mantido por um período igual ao da redução. Por exemplo, se o trabalhador e a empresa fizerem um acordo para redução de jornada e salário por dois meses, após esse período ele deve ter estabilidade no emprego por dois meses.

Quem tiver a jornada e o salário reduzidos receberá um auxílio do governo proporcional ao valor do seguro-desemprego. Assim, quem tiver uma redução de 50% por parte da empresa vai receber uma parcela de 50% do que seria o seu seguro-desemprego caso fosse demitido. Para quem recebe até três salários mínimos, esse pagamento quase compensa a redução de salário, segundo o secretário.

Acordo individual

Para trabalhadores que recebem até três salários mínimos, o acordo para redução de jornada e salário pode ser feita por acordo individual. Para quem recebe entre três salários mínimos e dois tetos do INSS (R$ 12.202,12, valor de referência), a redução de jornada e salário terá que ser feita por acordo coletivo, já que nessa faixa a compensação da parcela do seguro-desemprego não compensa toda a redução salarial. Acima de R$ 12.202,12, a lei trabalhista atual já autoriza acordo individual para redução de jornada e salário. Em resumo, esses são os efeitos da MP  936.

É certo que essas medidas não resolvem a situação caótica pela qual passa o País e não atende plenamente os direitos dos trabalhadores. Entretanto, não podemos ignorar que a economia está estagnada há cerca de 60 dias e sem prazo definido para sua retomada. E que essa  estagnação está trazendo prejuízos sem precedentes também para a classe empresarial, em particular para as pequenas e médias empresas, que não possuem outros meios de arrecadação que não seja a venda de seus produtos (nos casos do comércio em geral), e, principalmente, os profissionais liberais.

Como proteger os direitos dos trabalhadores, em particular os empregos, diante desse dilúvio mundial? A busca de alternativas menos dolorosas deve ser primordial em qualquer economia; Entretanto, as alternativas que se apresentam são mínimas, ou quase zero. Mas acredito que em nossa frágil economia essa alternativa é a viável nesse momento.

O movimento sindical 

Lamentável ainda é a postura do movimento sindical, em particular o movimento sindical cutista. Por ser a maior central sindical, a CUT deveria se apresentar aos trabalhadores e estar apresentando propostas viáveis e de unidade em favor da classe trabalhadora e da sociedade como um todo, visando combater o vírus e suas consequências maléficas em todos os níveis, em particular no desemprego, que vai atingir milhões de trabalhadores.

A CUT, segundo seu informativo, se reuniu com as frentes Brasil Popular e Povo sem Medo em São Paulo, com mais de 40 movimentos sociais e entidades organizadas da sociedade civil, e lançaram, no dia 31 de março, a ‘Plataforma Emergencial Para Enfrentamento da Pandemia de Coronavírus e da Crise Brasileira’. São mais de 60 propostas de defesa dos trabalhadores, em oposição ao governo de Jair Bolsonaro.

Embora as propostas ─”Condições básicas para salvar nosso povo; Promoção e fortalecimento da saúde pública; Garantia de Emprego e Renda para os trabalhadores; Proteção social, direito à alimentação e à moradia para todos; Direito à alimentação para todas as pessoas; Direito à moradia digna e Reorientação da economia e da destinação de recursos públicos”─ sejam uma alternativa, sua implementação só teria eficácia em longo prazo e certamente não seria nesse governo.

Penso que estamos vivenciando um fato único na sociedade mundial em defesa da vida e nas relações  capital e trabalho. Um momento no qual requer um esforço hercúleo de toda sociedade organizada para buscar uma solução imediata que atenda a todos, o capital e o trabalho, sem vencidos e sem vencedores. A única vitória a ser conquistada de imediato é na luta pela vida e pelo emprego.

Categorias
Vitor Chimento | Serra

Francisco Alves: Chico Alves, Chico Viola, o Rei da Voz

Francisco de Moraes Alves, filho de imigrantes portugueses proprietários de um bar na Rua do Acre, nasceu em 19 de agosto de 1898. Foi mais conhecido como Francisco Alves, Chico Alves, Chico Viola e “Rei da Voz”, título dado no final de 1933 por Cesar Ladeira, então ‘speaker’ e diretor artístico da extinta rádio Mayrink Veiga.

Em 1918, Francisco Alves, decidido em ser cantor, faz seu primeiro teste com o maestro Antonio Lago (pai de Mario Lago). Aprovado e admitido na Companhia João de Deus-Martins Chaves, que ocupava o Pavilhão do Méier e depois foi para o circo Spinelli. Ao mesmo tempo, por questões de sobrevivência, trabalhava como motorista de praça. Fez parte de uma companhia artística que logo se dissolveu com a pandemia de gripe espanhola, a mesma que levou a óbitos seu irmão Juca (José) e seu pai.

Vitor Chimento/Diário do Rio

Com a morte do pai e do irmão, e com os casamentos de suas irmãs, Francisco foi morar com sua mãe em 1919. Nesse mesmo ano a companhia artística voltou a se organizar em Niterói e, e, mais uma vez, ele passou a integrá-la. Conheceu neste período Sinhô, compositor famoso, que o apresentou ao filho de Chiquinha Gonzaga que estava instalando uma fábrica de discos.

Ainda em 1919 gravou pelo novo selo chamado Popular. Neste trabalho trazia Sinhô como ritmista e as duas composições do disco eram de autoria dele: a marchinha ‘O Pé de Anjo’ e o samba ‘Alivia Esses Olhos’. Em seguida Sinhô passou a ensinar técnicas vocais a Francisco.

Francisco era uma figura alta magra, andava sempre elegante e bem penteado, um profissional ao extremo. Nos estúdios de gravação era exigente e de ouvido apurado, fazia valer seu perfeccionismo. Como não se deixava explorar pelos “folgados” do meio artístico, pois resistia aos empréstimos de dinheiro, ganharia deles o título de avarento, malgrado ser generoso nas horas certas com pessoas e obras de caridade que costumava socorrer. Apaixonado por futebol, foi reserva do Bonsucesso e era torcedor do carioca America Futebol Clube.

Vitor Chimento/Diário do Rio

Desde menino amava o ambiente do turfe. Seus animais foram várias vezes vitoriosos no hipódromo da Gávea. Outras particularidades: jamais bebia, fumava até dois maços de cigarros por dia, tinha medo de micróbios, mania de injeção. Amava a mãe, a família, as crianças e os animais. Era simples e alegre, de temperamento cordial, muito agitado e de falar alto. Tinha o semblante por vezes preocupado, de pavio curto e bom de briga. Contudo, era extremamente gentil.

A rigor tudo que lançava era sucesso. Sabia garimpar como ninguém a música de sabor popular, fosse de autor conhecido ou desconhecido. Sem dúvida, um grande compositor, essencialmente um melodista. Suas parcerias com autores, apenas letristas, como, por exemplo, Orestes Barbosa e David Nasser, foram provas do seu talento. Deixou mais de 130 composições e bastaria sua obra de autor para lhe garantir a perenidade na história da música popular.

Vitor Chimento/Diário do Rio

Francisco Alves, a grande estrela dos bons tempos da Rádio Nacional, passou em Miguel Pereira parte de sua vida, ou em férias ou administrando a loja de tecidos que havia montado na cidade. A casa que serviu de moradia para família Alves foi demolida, restando apenas como lembrança de sua passagem pelo município o Museu Francisco Alves, dedicado exclusivamente ao músico.

O acervo do museu conta com objetos pessoais, fotografias, recortes de jornais, vários discos da trajetória do artista e o violão em lugar de destaque, em homenagem ao fenômeno da musica popular brasileira. Ajudou a consagrar importantes compositores, como Cartola, Heitor dos Prazeres e Ismael Silva. Imortalizou canções, como ‘Se Voce Jurar’ e ‘Ai, Que Saudade da Amélia’.

Morreu tragicamente em acidente de trânsito na Rodovia Presidente Dutra em 1952.

Categorias
Sarah Zaad | Horóscopo

Um período de reflexão e fim de ciclos

Um período de reflexão e fim de ciclos, mas aqueles ciclos que realmente precisam ser finalizados, com sabedoria para que nenhuma atitude seja prejudicial.

Áries ─ 21/03 a 20/04
A Lua Minguante lhe traz avisos sobre o encerramento de um ciclo e as mudanças afetam principalmente o setor profissional. É necessário agir com sabedoria para mudar o curso dos planos e para olhar para o futuro com coragem e direcionamento. O céu também pede atenção com documentos e questões legais.

Touro ─ 21/04 a 20/05
A Lua Minguante exige de você habilidades emocionais para discernir sobre valores filosóficos desgastados que não se manterão. Os assuntos afetados são estudos e crenças limitantes. É preciso ter coragem para tomar a decisão certa. É imprescindível, neste momento evolutivo, a flexibilidade.

Gêmeos ─ 21/05 a 20/06
A Lua Minguante traz encerramentos significativos com um grupo de pessoas, com amigos e com projetos. A intenção é avaliar as condições financeiras, principalmente com foco em pagamento de contas, heranças, pensão, aposentadorias e empréstimos. Analise os seus projetos com atenção. Você está cercado de pessoas amigas que o ajudam a interagir com as mudanças de uma forma harmônica e com soluções financeiras.

Câncer ─ 21/06 a 21/07
A Lua Minguante pede encerramentos com sócios, parceiros e experiências relacionadas ao cônjuge. A pessoa tocada passa por desafios e você precisa discernir o que é melhor para o seu desenvolvimento neste momento. Desapego é essencial. É preciso coragem para ser feliz. Apesar dos desafios, o gráfico aponta uma pessoa especial que o ajuda a tomar decisões com maior consciência das suas necessidades.

Leão ─ 22/07 a 22/08
A Lua Minguante pede encerramentos com sócios, parceiros e experiências relacionadas ao cônjuge. A pessoa tocada passa por desafios e você precisa discernir o que é melhor para o seu desenvolvimento neste momento. Desapego é essencial. É preciso coragem para ser feliz. Apesar dos desafios, o gráfico aponta uma pessoa especial que o ajuda a tomar decisões com maior consciência das suas necessidades.

Virgem ─ 23/08 a 22/09
A Lua Minguante desta semana traz encerramentos significativos em relacionamentos afetivos, tanto amorosos quanto relacionados aos filhos. A autoestima está sendo um grande teste para que você possa eliminar todas as mazelas que afetam o seu desenvolvimento. Reflita sobre o final de um ciclo. É importantíssimo soltar os ressentimentos e as culpas. A baixa autoestima é o seu calcanhar de Aquiles!

Libra ─ 23/09 a 22/10
A Lua Minguante traz encerramentos em família que afetam relações com pessoas queridas ou o relacionamento afetivo. Mas o foco são as relações familiares. É preciso entender todas as experiências do passado, para que possa construir um novo cenário. O imóvel e os assuntos domésticos também podem ser tocados.

Escorpião ─ 23/10 a 21/11
A Lua Minguante traz encerramentos com pessoas do seu convívio, tocando tanto pessoas do trabalho quanto parentes. É importante refletir profundamente sobre pensamentos e informações que circulam. É necessário levar em consideração regras e documentos. Você está passando por um processo muito profundo de mudanças que toca novas ideias e revela também quem são as pessoas do seu convívio.

Sagitário ─ 22/11 a 21/12
A Lua Minguante traz encerramentos financeiros significativos. É importante avaliar o cenário profissional e tomar decisões congruentes para o novo ciclo. A experiência exige de você decisões estratégicas e traz confrontos para firmar o seu valor pessoal e a sua vocação. É importante encerrar um ciclo desgastado para tomar decisões materiais diferentes. O cenário pode também trazer conflitos com filhos ou com figuras que se igualam ao status de filhos.

Capricórnio ─ 22/12 a 20/01
Mudanças e encerramentos profundos que afetam a sua imagem e os seus posicionamentos. É importante saber exatamente quem você é e o que deseja para o novo ciclo que se aproxima. Você vai se sentir altamente exigido, mas verá novas oportunidades assim que compreender o que deve ser feito e aceitar as mudanças. O céu favorece negociações, principalmente para obter soluções para a família e para projetos que se revelem prioritários.

Aquário ─ 21/01 a 19/02
A Lua Minguante traz encerramentos significativos na forma de perceber coisas, pessoas e fatos que o cercam. A experiência pode intensificar o isolamento e os medos, mas você está em condições de tomar boas decisões. Momento para refletir sobre as suas sensações e os seus sentimentos. O silêncio e a reserva são muito bem-vindos! Apesar dos desafios, você vai se sentir motivado a realizar planos e a expressar o que sente com uma pessoa especial.

Peixes ─ 20/02 a 20/03
A Lua Minguante traz encerramentos significativos em projetos ou em atividades com um grupo de pessoas. O cenário é propício para encerrar coisas e você terá a oportunidade de enxergar as pessoas de uma forma mais clara. A sua posição pode incomodar as pessoas, então você sentirá a necessidade de se preservar ou de encerrar alguns contatos. Você está muito sensível e vulnerável a sentimentos que tem dificuldades em acessar.

No YouTube: Sara Zaad — Signos.

Categorias
Tatiana Moraes | Meio Ambiente

O que será do amanhã?

O uso de máscaras em muitas localidades do planeta já era uma rotina antes da pandemia. Não por conta de medidas profiláticas contra o vírus, mas sim em razão do nível de poluentes e particulados presentes na atmosfera local.

Dados de monitoramento de poluição nos grandes centros urbanos estão apontando para a melhoria da qualidade do ar nesse período da quarentena. E até algumas espécies da fauna vêm sido vistas circulando em locais que antes não tinham acesso em razão dos níveis de degradação ambiental ou impacto ambiental predatório.

A pergunta que fica é: e quando essa fase passar? Vamos voltar a viver exatamente como vivíamos?

Sabemos que haverá muito trabalho para as sociedades se reerguerem após a pandemia. Mas vamos reconstruir nossa nova forma de vida com base nos pilares antigos ou temos a oportunidade de criar um novo modo de viver?

Falando em pilar, o conceito de Desenvolvimento Sustentável possui três bases tradicionais, que são o desenvolvimento econômico, social e ambiental. Como sabemos, sem pilares fortes e equilibrados, nenhuma construção consegue se manter em pé.

Depois da tempestade, há de vir a calmaria, certamente. E quais serão nossos planos? Seguir em frente como se nada tivesse acontecido? Ficarmos parados e travados olhando para trás? Ou fazermos novas escolhas para um presente e futuros mais saudáveis e promissores, para essa e as futuras gerações?

Categorias
Sérgio Vieira | Entre Colunas

O poder do peixe contra gripe

Os consumos dos nutrientes certos são essenciais para prevenir doenças. Para você se livrar da gripe, alguns alimentos fortalecem o sistema imunológico e ajudam a acelerar a recuperação.

É importante manter uma alimentação equilibrada, seguindo uma dieta rica em vitaminas, minerais e substâncias antioxidantes para deixar o sistema de defesa mais resistente a vírus e bactérias. Assim, seguimos nos defendendo de diversas viroses.

O leite e seus derivados são excelentes fontes de cálcio. O alho e a cebola, além de serem ótimo em trazer sabor para as comidas, são alimentos apropriados na prevenção de doenças e na manutenção do organismo saudável, contribuindo também para que vias respiratórias se mantenham abertas e descongestionadas. O própolis, produzido pelas abelhas, é um poderoso antioxidante com ação antibiótica, possui ação antibacteriana e antiviral, contribuindo no combate do vírus da gripe. Através do limão, cenoura e frutas cítricas, obtemos a vitamina C, que é um importante componente na fortificação da defesa do corpo. O gengibre e as oleaginosas, como nozes e amêndoas, têm um efeito anti-inflamatório que contribui no combate contra as viroses.

Em destaque temos que evidenciar o pescado que, além de saboroso, enriquece a mesa, combinando perfeitamente com todos os ingredientes citados, incluindo nessa dieta as proteínas dentre todos os demais elementos responsáveis e importantes para estruturar e fortalecer o sistema imunológico de proteção. Peixes são ricos em ômega 3, contêm ácidos graxos, sendo também fontes de outros antioxidantes, como o selênio e vitamina E.

Diferente dos animais e aves, o peixe raramente é hospedeiro de vírus gripais. Portanto, o peixe fresco industrializado é uma carne saudável para o consumo e importante no processo de amparo ao nosso organismo.

Apesar dos alimentos citados não sejam medicamentos alopáticos, tem certamente uma participação importantíssima no combate às doenças viróticas através de seus nutrientes que fortalecem o sistema imunológico.

Beber muito líquido e consumir peixes como salmão, sardinha e atum, ajudam a combater a inflamação crônica do organismo melhorando os sintomas da Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC). Isso ocorre porque os peixes são ricos em enzimas que possuem um papel anti-inflamatório e nos ajudam a proteger os pulmões.

Categorias
Marynês Meirelles | Direto ao Ponto

Ínterim x interím

Quem pode, fica em casa. Neste momento, é o que podemos e devemos fazer. Os noticiários apresentam as notícias sobre o coronavírus e aproveitam para passar instruções de como temos que nos prevenir. Entrevistas e mais entrevistas com cidadãos e especialistas.

Em uma das entrevistas, Joice disse:

– É muito difícil ficar em casa. Neste interím, precisamos ter muita paciência e procurar formas de ocupar o nosso tempo.

A repórter tentou consertar:

– Neste ínterim, realmente, precisamos buscar opções para ocupar o tempo. Uma delas pode ser ler e estudar regras da língua portuguesa.

Joice respondeu:

– É verdade. Ótima ideia. Acho que estamos mesmo precisando…

DIRETO AO PONTO

Errado: Neste INTERÍM, ficaremos em casa.
Correto: Neste ÍNTERIM, ficaremos em casa.

ÍNTERIM – Característica do que é interino; provisório, o espaço de tempo entre duas situações e/ou fatos.
Substantivo masculino proparoxítono.
Plural: ínterins.

Categorias
Flávio Soares | Corpo e Ação

Não fique parado: exercitando na quarentena

Já sabemos que a atividade física traz grandes benefícios para a nossa saúde, mas nunca nos preocupamos tanto com ela quanto agora. A importância de pulmões limpos, com a imunidade alta, com os bons índices do HDL, da obesidade, etc.

Mas como controlar isso agora? E pior: como melhorar isso sem poder sair de casa?

Fazendo exercícios em casa, os aparelhos e as esteiras ficaram nas academias, mas graças à criatividade e a boa vontade de inúmeros professores de Educação Física, nossas redes sociais estão recheadas de excelentes profissionais dando diversas dicas e aulas ao vivo em diversas modalidades, com diferentes estímulos e materiais a serem usados. A sensação de bem-estar após um treino de jump sem cama elástica pode ser sentida. E a imensa ansiedade que estamos vivendo pode ser diminuída com uma boa aula de zumba. Isso sem falar daquela contração máxima dos músculos depois de um set de hipertrofia. Todos esses benefícios podem ser alcançados com essas aulas online.

São inúmeros os benefícios da prática de exercícios em casa durante essa quarentena. Dentre eles estão: a diminuição do apetite; a melhora do humor; a perda de gordura (emagrecimento); o enrijecimento dos músculos; coordenação motora mais desenvolvida; a melhora da imunidade; e o retardo do envelhecimento. Sem contar a probabilidade de quadros de depressão, mas por liberarmos a serotonina ─ hormônio conhecido como molécula da felicidade ─ durante a atividade, essa probabilidade também diminui. Além disso, quando temos consciência de que estamos nos tratando melhor, damos mais um passo em direção à auto-satisfação.

Então, a dica de quarentena aqui da nossa coluna é: se movimente, não fique parado!
Categorias
Fernanda Haddock Lobo | Comer Bem

Bolo de Churros

INGREDIENTES DA MASSA
4 ovos.
4 colheres (sopa) de manteiga.
2 xícaras de farinha de trigo.
2 xícaras de açúcar.
1 xícara de leite.
1 colher (sopa) de fermento.
1 colher (sopa) de canela.

INGREDIENTE COBERTURA
1 lata de leite condensado cozida por 30 minutos.
100 ml de creme de leite.
1 pitada de canela.

MODO DE PREPARO DA MASSA
Em uma batedeira, bata os ovos, a manteiga e o açúcar.
Acrescente a farinha de trigo, a canela e o leite.
Por último, acrescente o fermento e mexa.
Coloque em forma untada e leve ao forno pré-aquecido por, aproximadamente, 30 minutos.

MODO DE PREPARO DA COBERTURA
Misture o leite condensado cozido com o creme de leite e a canela.
Assim que o bolo esfriar, desenforme-o e corte-o ao meio. Em seguida recheie e cubra com o doce de leite.