Categorias
Destaque Turismo

Agência de Turismo Sheikadventure realiza passeios em Niterói

 

A Agência Sheikadventure está promovendo cada vez mais passeios e viagens inesquecíveis. As trilhas iniciaram gratuitamente, e se tornaram grande modelo de buscas entre os turistas, como Pedra da  Sacristia, morro da andorinha, gruta de ponta negra, pedra do elefante, entre outros. O objetivo da agência é fazer com que as pessoas se movimentem.

O sócio majoritário e guia da Agência Luiz Antônio também realiza arrecadações para comunidades, assim como fornece ajudas para orfanatos, como o Lar da criança Padre Franz Neumair, localizado na cidade de Niterói. Para o sócio majoritário e guia da Agência, Luiz Antônio,  antes das trilhas ele já sentia no coração a vontade de ajudar o próximo.

“Com o crescimento das demandas e procuras até de outros estados, optei por criar cursos de rapel, sobrevivência e resgate”, contou o sócio majoritário e guia da Agência, Luiz Antônio.

Os serviços são oferecidos através do WhatsApp ( 21 )  96485-4466 e Instagram (@sheikadventure) .

 

Categorias
Destaque luto Morte na educação

Professor Cândido Mendes, morre aos 93 anos

Morreu, aos 93 anos de idade, o professor Cândido Mendes de Almeida, ocupante da cadeira 35 da Academia de Letras. casado com  Margareth D’alcomo, epidemiologista e foi reitor da universidade Cândido Mendes. Também foi candidato pelo PMDB a Câmara dos Deputados em 1986 e, entre seus trabalhos estão “A razão amada” e O país da paciência”.

Categorias
Brasil Destaque Diário do Rio Notícias Notícias do Jornal Rio Saúde

Prefeitura de Petrópolis cria conta oficial para doações em dinheiro

A prefeitura de Petrópolis anunciou a criação de uma conta bancária para recebimento de doações às vítimas das fortes chuvas que afetam a cidade desde a última terça-feira (15). Até o momento, as autoridades contabilizam mais de 100 mortes e 134 desaparecidos com a tragédia. 

Os recursos arrecadados serão utilizados para a compra de mantimentos, roupas, cestas básicas, materiais de higiene pessoal e outros itens de necessidade. A prefeitura reforça que só receberá doações em dinheiro por essa conta e pede que os brasileiros tenham cuidado para não caírem em golpes aplicados por pessoas em nome da prefeitura.

Para quem quiser colaborar com dinheiro, a conta, no Banco do Brasil, é: PMP Petropolis – S O S 2022, agência 0080, conta 96011-X, CNPJ 29.138.344/0001-43. Para fazer um PIX, a chave é o CNPJ.

A prefeitura da cidade também está recebendo doações no ginásio da Universidade Católica de Petrópolis (UCP), no Bingen. Equipes da prefeitura e voluntários estão atuando no local e recebendo itens de higiene pessoal, limpeza, brinquedos, alimentação, colchões, kit dormitório, entre outros. O ginásio da Universidade Católica de Petrópolis fica localizado na Rua Ministro Lúcio Meira, a poucos metros do pórtico do Bingen, na entrada da cidade.

Na última  terça-feira (15) uma tempestade causou destruição em diversas localidades, com transbordamento de rios, deslizamentos de encostas e alagamentos. Mais de 100 pessoas morreram em decorrência da tragédia que afetou a cidade da região serrana do Rio de Janeiro.

Desde o desastre, além da prefeitura, diversas entidades vêm anunciando canais para ajudar a população atingida.

A Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) criou a campanha Firjan SESI Solidariedade – SOS Petrópolis com o objetivo de atender a população e empresas vítimas da tragédia no município.

As contribuições podem ser feitas através da seguinte conta: Firjan SESI Solidariedade, do Banco do Brasil, pela agência: 3309-X, conta: 6641-9, CNPJ: 03.851.171/0001-12  –  SESI, chave PIX: sospetropolis@firjan.com.br.

Segundo a entidade, o recurso será utilizado para a compra de itens que estão sendo demandados diretamente por autoridades locais, garantindo atendimento às necessidades específicas emergenciais.

As empresas que queiram contribuir e precisem de termos jurídicos específicos podem entrar em contato através dos seguintes canais: (21) 9 9925-0363 (WhatsApp) / prontoatendimento@firjan.com.br. Esses canais também podem ser acionados por empresas que desejem doar materiais diversos.

Capital

No município do Rio de Janeiro, o MetrôRio, em parceria com o governo estadual, recebe donativos nas estações Pavuna, Central, Carioca, Largo do Machado e Jardim Oceânico para apoiar a campanha de arrecadação, promovida pela Secretaria de Estado de Transportes. Entre os itens solicitados estão água mineral, roupas e material de higiene e de limpeza.

Para contribuir, basta depositar as doações na caixa localizada próximo à sala da segurança e identificada com o nome da campanha, em cada uma das estações participantes. A campanha vai até a próxima quinta-feira (24). Os donativos serão entregues à Secretaria de Transportes para o encaminhamento às famílias de Petrópolis.

Também no Rio, escolas particulares se mobilizam para ajudar vítimas da tragédia de Petrópolis.

Os centros de ensino estão arrecadando material de higiene pessoal e limpeza, máscaras e álcool em gel. As doações devem ser feitas nas próprias escolas. Cada unidade tem um horário específico de funcionamento e um prazo para o recebimento dos itens.

Confira os pontos de coleta:

Colégio Ao Cubo 

•   Rua Professor Gabizo, 334 · Tijuca. Tel.: (21) 2575-5537

•   R. Bambina, 126 – Botafogo. Tel.: (21) 2537-0434

•   Av. Rodolfo Amoedo, 333 – Barra da Tijuca. Tel.: (21) 3993-2230

Colégio Matriz Educação

•   Bangu – Rua Agrícola, 318

•   Campo Grande – Rua Professor Gonçalves, 41

•   Duque de Caxias – Rua Marcílio Dias, 113 – Jardim 25 de Agosto

•   Nova Iguaçu – Rua Humberto Gentil Baroni, 189

•   Rocha Miranda – Rua dos Topázios, 375

•   São João de Meriti – Rua Coronel Henrique da Fonseca, 228

•   Taquara – Rua Padre Ventura, 200

 Escola Sunny Days 

•   R. Lopes da Cruz, 176 – Méier. Tel.: (21) 97452-7104

Escola Bom Tempo

•   R. Barão de Lucena, 103 – Botafogo. Tel.: (21) 2239-2449

 

 

Agência Brasil

Categorias
Brasil Destaque Diário do Rio Notícias Notícias do Jornal Rio Saúde

Taxa de positividade de testes de covid-19 cai para 6,8% no Rio

A taxa de positividade dos testes de covid-19 na cidade do Rio de Janeiro caiu para 6,8%, o menor percentual desde o início do ano. O dado foi divulgado na última quinta-feira (17) pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS), que informou que, durante o período de pico da variante Ômicron, entre os dias 11 e 21 de janeiro, a taxa chegou a 43,6%.

O percentual calculado hoje significa que, em média, a cada 100 testes realizados na cidade, não chega a sete o número de resultados positivos.

Além de redução na positividade, houve queda expressiva da procura por testes rápidos de antígeno nas unidades de atenção primária e nos centros de atendimento e testagem. Segundo a SMS, o número de exames realizados por dia, que chegou a superar 100 mil, no momento está em cerca de 6 mil.

A prefeitura informa ainda que 50% da população carioca maior de 18 anos está imunizada com a dose de reforço, mas ainda há 670 mil que são aptos a se vacinar e não foram.

A dose de reforço é recomendada para todos com 18 anos ou mais que tomaram a segunda dose ou dose única há quatro meses. Para completar o esquema de vacinação, basta procurar um posto de vacinação do município.

 

 

Agência Brasil

Categorias
Brasil Destaque Diário do Rio Notícias Notícias do Jornal Rio Saúde

Acelerar ritmo de vacinação infantil pode salvar vidas, mostra estudo

Acelerar o ritmo da vacinação infantil para 1 milhão de doses aplicadas por dia poderia aumentar o impacto da proteção coletiva e salvar mais vidas até abril, afirma uma nota técnica elaborada pelo Grupo de Modelagem da Dinâmica de Transmissão do SARS-CoV-2 no Brasil, que reúne pesquisadores de diversas instituições e recebe apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Os pesquisadores desenharam dois cenários a partir de meados de janeiro, quando começou a vacinação infantil contra covid-19 no Brasil: um com a vacinação de crianças no ritmo atual, considerado lento, com a aplicação de 250 mil doses por dia; e outro, considerado ideal, com 1 milhão de doses aplicadas por dia, patamar que o Programa Nacional de Imunizações já conseguiu atingir em outras campanhas de vacinação desse público.

No ritmo atual, os pesquisadores estimam que 1.092 vidas de todas as faixas etárias serão salvas pela vacinação infantil até abril, e 5,7 mil pessoas deixarão de ser internadas com covid-19. Se forem consideradas apenas as crianças de 5 a 11 anos, o estudo estima que cerca de 2,3 mil internações deixarão de acontecer e 182 vidas serão salvas.

No outro cenário, em que a vacinação teria começado no ritmo ideal em meados de janeiro, com 1 milhão de doses por dia, o número de vidas salvas até abril subiria para 3 mil em todas as faixas etárias, sendo 428 mortes evitadas em crianças de 5 a 11 anos. Neste cenário, os pesquisadores estimaram que 5.419 hospitalizações de crianças deixariam de acontecer e cerca de 14 mil internações se forem consideradas todas as idades.

Coordenadora da pesquisa e integrante do Grupo Consultivo Estratégico de Especialistas em Imunização da Organização Mundial da Saúde (Sage/OMS), Cristiana Toscano explica ainda que, se o cenário atual, de ritmo lento, mudasse para o de ritmo ideal, ainda seria possível chegar a um número de 1,9 mil mortes evitadas em todas as faixas etárias até abril, em vez de 1.092 no cenário atual. Em relação às vítimas infantis, seriam 246 a menos, em vez de 182 na projeção do ritmo atual. Os números de internações que deixariam de acontecer subiriam de cerca de 5,7 mil para 8,4 mil em todas as faixas etárias, e de 2,3 mil para 3 mil entre as crianças.

A pesquisadora esclarece que a vacinação de uma faixa etária específica, como a das crianças, tem o potencial de salvar vidas de todas as idades porque pessoas imunizadas transmitem menos o vírus quando são infectadas.

Apesar de os benefícios da vacinação serem amplamente divulgados pela comunidade científica, ela avalia que há um cenário de muita desinformação circulando principalmente nas redes sociais.

“A gente está com um gargalo de demanda. Em muitos locais, há vacinas disponíveis e parte dos pais ainda tem insegurança e hesitação e não está procurando os postos para vacinar as crianças”, afirma a pesquisadora, que também é representante da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) em Goiás.

Além de informações falsas espalhadas por grupos antivacina, a infectologista aponta que há uma ideia errada de que não há risco de casos graves em crianças. Com a circulação da variante Ômicron, muito mais transmissível, ela destaca que o grande número de casos tornou as internações infantis por covid-19 mais frequentes.

“A população ainda está com uma percepção de que doença grave em criança não vai acontecer. E não é bem assim. Só no mês de janeiro, o número de hospitalizações triplicou em crianças e adolescentes. E não é só no Brasil. Nos Estados Unidos, quadruplicou com a circulação da Ômicron”, explica, ao acrescentar que, além do maior número de casos, o vírus também tende a circular de forma mais intensa em grupos populacionais com menor cobertura vacinal, o que é o caso das crianças.

O estudo lembra que, após a autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária para uso da vacina da Pfizer em crianças de 5 a 11 anos, em meados de dezembro, a vacinação dessa população no Brasil começou “em meio a intenso debate e circulação de fakenews“.

“Esta introdução ocorreu em meio a muitas dificuldades operacionais e acompanhada de poucas estratégias de mobilização e comunicação sobre a importância da vacinação neste grupo de idade. Em combinação, todos esses fatores podem estar contribuindo para a baixa cobertura vacinal observada até o momento, correspondendo, até 7 de fevereiro de 2022, a menos de 20% das crianças na faixa entre 5 a 11 anos com a primeira dose da vacina. Ressalta-se que há variação importante de cobertura vacinal entre os estados brasileiros, com alguns estados apresentando coberturas extremamente baixas, em torno de 4% apenas”.

Ainda que o estudo aponte que um ritmo mais intenso de vacinação poderia salvar até o triplo de vidas no curto prazo, o benefício desse cenário de imunização acelerada ainda pode estar subestimado.

Cristiana Toscano explica que o estudo não considerou os casos que poderiam ser evitados de Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica, complicação da covid-19 mais comum em crianças, nem os riscos de sequelas e casos de covid-19 longa, que também têm sido registrados na população infantil.

“Inicialmente, a gente tinha documentado a ocorrência de covid longa em pessoas com doença grave e internadas, e fomos vendo que não bem assim, não é só nesses casos. Tem covid longa acometendo órgãos do sistema cardiovascular, do sistema neurológico e cognitivo, causando déficit de aprendizado, alteração de condições metabólicas”, cita a pesquisadora. “Muitas dessas condições também estão sendo observadas em crianças”.

Com a vacinação de crianças em curso em dezenas de países, a infectologista reforça que a segurança das vacinas têm sido confirmada ao redor do mundo com a observação de mais de 40 milhões de doses aplicadas, e que casos de eventos adversos mais graves, como a miocardite ou a trombose, têm se mostrado extremamente raros. Além disso, ela compara que a própria covid-19 causa essas complicações com muito mais frequência.

Com a redução de mortes e internações por covid-19, o estudo também calcula que uma vacinação mais acelerada poderia reduzir os custos com o tratamento de pacientes infectados pelo coronavírus.

Segundo a pesquisa, no ritmo lento, a vacinação de crianças pode evitar um custo de quase R$ 60 milhões com internações de doentes de todas as faixas etárias, economia que poderia chegar a R$ 87 milhões até abril se o ritmo subisse para 1 milhão de doses por dia.

Caso o cenário ideal tivesse ocorrido desde meados de janeiro, poderiam ser evitados R$ 146 milhões em custos de internação.

 

 

 

Agência Brasil

Categorias
Brasil Destaque Diário do Rio Notícias Notícias do Jornal Rio Saúde

Boletim da Fiocruz aponta tendência de queda de casos de SRAG

O Boletim InfoGripe da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), divulgado na última quinta-feira(17), mostra sinal forte de queda nos casos notificados de síndrome respiratória aguda grave (SRAG) no país tanto na tendência de longo prazo, consideradas as últimas seis semanas, quanto na de curto prazo, que leva em conta as últimas três semanas.

Nas últimas quatro semanas, entre os casos positivos para algum vírus respiratório, a maior prevalência foi de covid-19, que representou 90,2% do total. A análise compreende o período entre 6 e 12 de fevereiro, considerada a Semana Epidemiológica 6, e tem como base os dados inseridos no SivepGripe até 14 de fevereiro.

De acordo com o boletim, a maior parte das unidades federativas apresenta sinal de queda na tendência de longo prazo e estabilidade ou queda no curto prazo: Amazonas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Pernambuco, Paraná, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

Em nove estados, há sinal de crescimento na tendência de longo prazo: Acre, Alagoas, Mato Grosso, Paraíba, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul e Rondônia. No estado do Amapá observa-se sinal de crescimento apenas na tendência de curto prazo, com sinal de estabilidade em relação à análise de longo prazo. Pará apresenta estabilidade e Roraima, estabilidade no curto prazo e crescimento, no longo.

De acordo com os indicadores de transmissão comunitária de SRAG, quando o contágio entre pessoas ocorre no mesmo território, sem histórico de viagem ou sem que seja possível definir a origem da transmissão, todas as capitais se encontram em macrorregiões de saúde com nível alto ou superior, a maioria, em nível alto.

A Fiocruz ressalta que, dada a heterogeneidade espacial da disseminação da covid-19 no país e nos estados, recomenda-se que sejam feitas avaliações locais, uma vez que a situação dos grandes centros urbanos é potencialmente distinta da evolução no interior de cada estado. A situação das grandes regiões do país serve de base para análise do cenário, mas não deve ser o único indicador para tomada de decisões locais.

Segundo os últimos dados do Ministério da Saúde, divulgados na quarta-feira (16), o Brasil chegou a 640 mil mortes em consequência da covid-19. Com 1.085 óbitos registrados em 24 horas, o país totalizou 640.774 vidas perdidas ao longo da pandemia.

 

 

Agência Brasil

Categorias
Cultura Destaque Notícias do Jornal

Via Parque Shopping recebe A Bela e a Fera

O espetáculo bela e a fera experience promete levar o visitante ao lugar incrível ao se deparar com o imponente castelo de mais de 1.500 mts² montado para receber o grande evento.

essa experiência fará com que o espectador se sinta em um lugar mágico como os lindos filmes da disney. O maravilhoso espetáculo será cheio de momentos inesquecíveis como um encantado foyer para umas belíssimas sessão de fotos.

Logo após vem a recepcão na entrada do castelo os espectadores serão convidados ao baile real que acontece dentro do salão real, após tomarem seus lugares, os funcionários da realeza passará de mesa em mesa, passando o cardápio do dia, já preparando o público para a segunda parte desse evento encantado.

Em uma releitura, adaptada da clássica história, originalmente escrita pela francesa Gabrielle-Suzanne-Barbot em 1740. a plateia estará em formato dinner show.

Dezenas de artistas e convidados dessa  glamurosa experiência podem esperar muita música, dança, teatro e ilusionismo, alem de efeitos especiais e olfativos durante todo o trajéto, tudo isso enquato deliciam com uma experiência gastronômica elaborada especialmente pela chefe Laura de Mello Guedes e Oliveira.

Com grande riqueza dos detalhes, os figurinos darão vida ao realismo aos clássicos personagens bela e a fera ( que como no filme se transforma em príncipe ) além de candelabro relógio e muitos outros.

Os recepcionistas, vendedores e garçons estarão caracterizados para que a imersão da época seja ainda mais completa, uma experiência surpreendente  para adultos e crianças.

Os ingressos da bela e a fera serão vendidos a partir de 50 ( couvert artístico ). Sem esquecer da pandemia, o evento atende todas as regras de distanciamento social e higiene necessária para sua realização.

Os assentos são definidos por ordem de chegada, o evento trás dois palcos sendo um deles 360º, crianças a partir dos 24 meses são pagantes.

Para mais informações : @viaparqueshopping

 

 

Categorias
Cultura Destaque Música e Hobbies Notícias Rio

Pré-carnaval no Hipódromo da Gávea promete ser lindo

Com a chegada do carnaval, vem a agitação das festas e a semana vem lotadas de eventos.

Uma delas é a “festa tropicana” um evento pré-carnaval que promete ser lindo, trazendo atrações como Alceu Valença,  Monobloco mais Djs em sua estreia.

Isso tudo ocorrerá do dia 17 ao dia 19 deste mês, no Hipôdromo da Gâvea tribuna c das 21h ás 05h, o lote atual será o último. Para mais informações acesse a rede social ou entre em contato.

@festatropicanaoficial ou whatsapp: ( 21 ) 99409-6306