Categorias
bicicleta Destaque Notícias

Bicicleta é tema da ‘Maratona de Ideias’ do SESC São Paulo

O Instituto Aromeiazero e unidades do Sesc SP apoiam  ideias, projetos e negócios que utilizam a bicicleta para fortalecer o território central durante e pós pandemia

De acordo com os dados levantados pela Aliança Bike, o número na
venda de bicicletas aumentou 34,17% no primeiro semestre de 2021 em relação ao mesmo período de 2020. Outra organização que também registrou esse crescimento foi a Tembici, responsável por operar serviços de empréstimo de bicicletas no país. Segundo a empresa,houve um crescimento do número de aluguéis de 9% entre janeiro e julho de 2021 em relação ao ano passado. Em muitas cidades o uso da bicicleta já vinha se tornando tendência e a pandemia colocou isso ainda mais em evidência. Além de ser usada para a prática de
exercícios físicos, meio de transporte e ferramenta de geração de
renda, a bicicleta  também pode ser usada como fortalecimento do
comércio local.

Foi pensando em fomentar o uso da bike que o Instituto Aromeiazero juntoa 6 unidades do Sesc (24 de Maio, Carmo, Consolação, Bom Retiro,Florêncio de Abreu e Parque Dom Pedro II) irá promover no próximo dia 25, às 11h30, a ‘Maratona de Ideias’, uma  live de apresentação das dez propostas selecionadas na Bike-a-thon Centro. Logo após, os responsáveis por elas serão avaliados e receberão feedbacks da Renata Falzoni, arquiteta, jornalista e idealizadora do portal Bikeé Legal;Cristina Fongaro Peres, assistente técnica da Gerência de Educação para a Sustentabilidade e Cidadania onde responde pela área da Valorização Social do Sesc SP; e Cadu Ronca, diretor do Instituto Aromeiazero.

Veja quais foram as propostas selecionadas:

Selim Cultural: formação de bikers entregadoras/es do coletivo
Señoritas Courier, para que estas pessoas elaborem roteiros de
conteúdo cultural pela região central da cidade.

EcoMilhas: programa de milhas em que cada quilômetro pedalado se
transforma em pontos que valem descontos entre os lojistas da região.

Mapeamento Ciclo Amigável com Señoritas Courier: a ideia é
mapear,identificar e criar um mapa online com pontos estratégicos que
ofereçam suporte à ciclistas de forma gratuita, como por exemplo,
espaços de recarga elétrica de aparelhos celulares, espaços para
alimentação, entre outros.

BikeSystem: coletivo que reutiliza, recicla e ressignifica bicicletas
abandonadas pela cidade e transforma em difusores de arte com o objetivo de levar música e doações para pessoas em situação  de rua no
Centro de São Paulo.

“Rolê no Centro”:  buscam a realização de passeios de bike e outras
rodinhas em ações culturais pelo Centro de São Paulo com o Coletivo
CicloCentro_SP. A ideia é juntar coletivos que atuem utilizando a
bicicleta.

Maratona Mulher na Bicicleta: criado pela Vespas Bike Gang, coletivo de mulheres que começou em setembro de 2018 busca realizar atividades para autonomia da mulher no ciclismo. Seu lema é “qualquer mina, qualquer bike”.

BAZE – Minioficina de Suporte axs Ciclo Entregadorxs: idealizado pelo grupo de ciclo entregadores “SP.Mess”, consiste na instalação de um arsenal básico de ferramentas para manutenção e cuidados de
bicicletas, nos seguintes centros culturais: Al Janiah [Bela Vista],
Casa do Povo [Bom Retiro], Galpão Casa 1 [Bela Vista] e Espaço Selva
[Mooca].

Motor Humano: realizado pelo Bicicletário 68, da ocupação Ouvidor 68, busca imaginar novas formas de transporte, invertendo a escala
automóvel-bike, a fim de fortalecer o acesso à cultura e a cidade para
a população das ocupações do Centro de São Paulo.

Pedalar é urbano – street art Sp: a ideia do projeto é evidenciar
através de um “tour” ciclístico artes de mulheres, pessoas pretas
e indígenas

PedalinhA: tem como proposta brincar e ocupar os espaços de pedal para crianças,  traçando rastros por linhas curvas de chão, que circunda me cortam a Praça Olavo Bilac e da Ciclofaixa do entorno..

A Bike-a-Thon, maratona de inovação social, criatividade e mentoria
para apoiar o desenvolvimento de soluções que utilizem a bicicleta
para fortalecer o território durante e pós pandemia, está acontecendo
desde o mês de agosto e contou com lives inspiradoras e mentorias sobre Bicicleta e Impacto Social ; Gestão de Inovação Social e Modelos de Sustentabilidade Financeira. Agora chega em sua fase final com
apresentações de soluções que serão apoiadas e acompanhadas pelo
Instituto até o fim deste ano.

Vale dizer que todas essas propostas são para o fortalecimento da
economia local no centro de São Paulo durante e pós pandemia.

Participe da live e contribua com as ideias, dando sugestões e tirando
dúvidas sobre elas.

Maratona de Ideias – Bike-a-thon Centro

Quando: 25/09/2021
Horário: 11h30
Onde: Youtube do Aromeiazero e do Sesc Bom Retiro

Sobre o Aro

O Instituto Aromeiazero é uma organização sem fins lucrativos que
utiliza a bicicleta para reduzir as desigualdades sociais e contribuir
para tornar as cidades mais resilientes. Os projetos contam com
patrocínio do Itaú Unibanco e da Argo Seguros, além de leis de
incentivo, sendo grande parte das ações em periferias e comunidades
vulneráveis. Desde 2011, as iniciativas do Aro promovem uma visão
integral da bicicleta, potencializando expressões culturais e
artísticas, geração de renda e hábitos de vida saudáveis. Para
saber mais informações, entre em contato:

   Sobre o Territórios do Comum

No atual momento ações realizadas por organizações não
governamentais, coletivos e indivíduos engajados são ainda mais
necessárias para transformar positivamente territórios e comunidades,
bem como as políticas públicas. Assim, diversas iniciativas da
sociedade civil têm atuado de forma colaborativa, constituindo espaços
de diálogo e de criação de tecnologias com mobilização social, que
apontam soluções para questões emergentes em seus territórios. Para
ampliar as possibilidades de trocas de conhecimentos de quem transforma seu território e quem deseja saber mais sobre o assunto, o Sesc Paulo dá início ao projeto “Territórios do Comum”, entre  1 a 15 de agosto, como ação em rede voltada ao tema da cidadania em suas
múltiplas dimensões e possibilidades de colaboração”.